Liberdade de imprensa: jornalista Paulo Henrique Amorim não terá que indenizar Daniel Dantas.

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print

Continua depois da publicidade

De todas as liberdades, á a de imprensa a mais necessária e conspícua. Sobranceia e reina entre as demais. Cabe-lhe, por sua natureza, a dignidade inestimável de representar todas as outras.

Rui Barbosa

A juíza de Direito Ana Lúcia Vieira do Carmo, da 19ª vara Cível do RJ, julgou improcedente a ação proposta pelo banqueiro Daniel Dantas, que pedia indenização por danos morais e materiais alegando que o jornalista utilizou seu site para difamar e manipular informações. A magistrada afirmou que não se pode calar a imprensa, “sob pena de calar o próprio povo”. Para ela, a liberdade de imprensa, “por mais que contrarie diversos interesses deve ser privilegiada” e este “é o preço para quem pretende viver em um Estado Democrático, como tenta ser este país”.

Publicidade