“Lapada” de R$ 2 bilhões 515 milhões de Parauapebas será votada segunda

Faturamento da Câmara de Vereadores vai passar de R$ 46 milhões para cerca de R$ 130,5 milhões, salto de quase 200%. Pela primeira vez, legislativo local supera Câmara de Belém
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print

Continua depois da publicidade

O terceiro maior orçamento público do Pará para 2022 será votado na próxima segunda-feira (20), às 17 horas, em sessão extraordinária da Câmara de Vereadores, e o Blog do Zé Dudu comparou o custo estimado para tocar os serviços essenciais do município de Parauapebas com os últimos três orçamentos.

A primeira das curiosidades é o fato em si de ser o terceiro maior orçamento público: a Prefeitura de Parauapebas só terá menos dinheiro previsto para gastar no ano que vem que o Governo do Pará (R$ 31,337 bilhões), comandado por Helder Barbalho, e a Prefeitura de Belém (R$ 4,334 bilhões), chefiada por Edmilson Rodrigues.

Outro ponto curioso do projeto de Lei Orçamentária Anual (LOA) que será debatido é o protagonismo financeiro assumido pelo Legislativo municipal, que dará guinada de R$ 46 milhões para R$ 130,45 milhões. Se o orçamento do parlamento se confirmar para 2022, a Câmara de Parauapebas se tornará, pela primeira vez, a Casa de Leis municipal mais rica do estado, superando a de Belém, cujo orçamento previsto para o ano que vem é de R$ 104,42 milhões. E não é só isso: o legislativo parauapebense terá mais dinheiro para comandar que 114 das 144 prefeituras paraenses.

Entre os grandes serviços públicos do município (aqueles com custo superior a R$ 10 milhões), o crescimento do orçamento da Câmara de 2021 para 2022 só ficará atrás das despesas com comércio e serviços, função que disparará 247%. O orçamento do legislativo, por seu turno, será inflado em algo próximo a 184%.

Educação e Saúde batem recorde

O orçamento a ser gerido pela Secretaria Municipal de Educação (Semed), sem contar emendas parlamentares, vai superar pela primeira vez meio bilhão de reais. Ele é composto por unidades orçamentárias da própria Semed mais dois fundos: o Fundo de Desenvolvimento da Educação Básica (Fundeb) mais o Fundo Municipal de Educação (Fumep). Serão, ao todo, exatos R$ 541,13 milhões, muito mais dinheiro que o que a Prefeitura de Castanhal vê durante o ano inteiro. Para quem não sabe, Castanhal tem 200 mil habitantes e é considerada capital regional do Pará, com importância estratégica superior à de Parauapebas.

A Secretaria Municipal de Saúde (Semsa), por seu turno, terá à disposição R$ 330,53 milhões de habitantes para tocar serviços para os cerca de 250 mil parauapebenses. O município até tem 98 mil cidadãos beneficiários de planos de saúde e, portanto, não são usuários regulares do Sistema Único de Saúde (SUS), mas ainda assim a cidade recebe pacientes de outras localidades, o que acaba sobrecarregando a rede pública local.

Confira o orçamento previsto para todas as funções de despesas essenciais em um quadro comparativo inédito elaborado pelo Blog do Zé Dudu, considerando os anos de 2019, 2020, 2021 e 2022!

%d blogueiros gostam disto: