Izabelense realiza doações de cestas básicas e frangos para a população carente de Santa Izabel

A ação ocorreu no estádio Abreuzão e arrecadou 180 cestas básicas e mais 160 kg de frangos
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print

Continua depois da publicidade

Vários clubes estão realizando ações solidárias em tempos de pandemia do novo coronavírus e o Atlético Clube Izabelense (ACI), o chamado Frangão da Estrada, da cidade de Santa Izabel do Pará, não ficou de fora e também vem ajudando famílias carentes do município. Em uma ação realizada no último domingo (07/06), a diretoria do clube arrecadou cestas básicas e frangos e distribuiu para a população nas dependências do estádio Edilson Abreu, o Abreuzão.

A ideia do presidente Gilmar Guimarães e da diretoria surgiu depois que o clube recebeu da Federação Paraense de Futebol (FPF) 14 cestas básicas, com isso pegou o embalo e sugeriu a população do município a doar alimentos, incluindo frangos abatidos, para os mais carentes da cidade. A ação em parceria com alguns amigos e torcedores do clube deu certo e o Izabelense conseguiu arrecadar 180 cestas básicas e mais 160 kg de frangos. O resultado da campanha foi considerado excelente pela cúpula do Frangão.

Quem ganhou com isso foram as famílias em situação de vulnerabilidade social de Santa Izabel do Pará, que fica a 36 km da capital paraense, e que segundo dados do IBGE, conta com uma população de 70 mil habitantes.  Em relação à covid-19, segundo o boletim epidemiológico do município, são 127 casos confirmados pelo LACEN (Laboratório Central) e 236 casos confirmados por testes rápidos, tendo ainda dois em análise, 43 descartados e 17 óbitos.

Fundado em 26 de abril de 1924, o Izabelense é um dos clubes mais tradicionais do interior do estado do Pará. O Frangão da Estrada chegou a bater de frente contra os três grandes da capital Belém: Remo, Paysandu e Tuna, principalmente nas décadas de 80 e 90, quando fez suas melhores campanhas no Campeonato Paraense, ficando em terceiro lugar nos estaduais de 1982 e 1992. O clube não disputa a elite do Parazão desde 1993, quando foi rebaixado para a chamada Segundinha e até hoje tenta conquistar o tão sonhado acesso.

Por Fábio Relvas