IBGE: dados divulgados do Censo 2010 só confirmam o grande equívoco na coleta de informações.

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print

Continua depois da publicidade

Dados do Censo 2010 divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) e publicados ontem pelo G1 Pará mostram que :

1.152.857 habitantes que vivem no Pará, mas não nasceram nesta unidade da federação;
59,97% vieram há mais de dez anos;
13% mora no Pará de seis a nove anos;
10,3% deles é paraense por adoção de cinco a três anos;
11% tem residência fixa no Pará há um ou dois anos e apenas 5,66% dos censitados chegou a menos de um ano. O que representa uma redução de mais de 90% deste tipo de migração nos últimos dez anos.

No ranking de quem veio de outros estados, destaca-se Belém (102.278), Marabá (87.274), Parauapebas (86.094), Ananindeua (44.385) e Redenção (31.663).

Por outro lado, a mobilidade intraestadual também é grande. Aproximadamente 32,88% dos habitantes do Pará vivem em um município diferente daquele onde nasceram. Este ranking também é liderado pela capital Belém (342.583), seguida por Ananindeua (276.216), Marabá (112.946), Parauapebas (110.559), Castanhal (61.357), Santarém (56.977) e Paragominas (50.916).

Nota do Blogger
Esses dados são confusos e não batem. Vamos tirar como exemplo o município de Parauapebas, onde segundo o Censo do IBGE de 2010 foram contabilizados apenas 149.411 habitantes. Pelos dados divulgados hoje, o município tem 86,094 habitantes que vieram de outros estados e 110.559 habitantes que nasceram no Pará mas não em Parauapebas. Se somarmos os imigrantes de outros estados e os paraenses de outros municípios, Parauapebas deveria ter 196.653 habitantes, 47.242 a mais do que o divulgado pelo Censo 2010. E isso sem somar os habitantes que nasceram em Parauapebas. Todos esses dados do IBGE mostram que o Censo 2010 foi uma grande enganação.