Ibama barra estudo de impacto na Hidrelétrica de São Luiz dos Tapajós, no Pará

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print

Continua depois da publicidade

Usina de São Luiz do TapajósO Ibama derrubou o principal argumento usado pelo governo para liberar o projeto do empreendimento da Hidrelétrica de São Luiz dos Tapajós, nos municípios de Itaituba e Trairão, no Pará, o conceito de “usina plataforma”.

Embora o governo tenha afirmado que os impactos ambientais seriam baixos e que não seria necessário construir vilas e estradas para construir a hidrelétrica, já que o transporte de pessoas e equipamentos seria feito por rios e ar, a história não foi convincente.

Segundo o Ibama, foram identificadas lacunas e inconsistências técnicas no estudo de impacto ambiental, tanto no diagnóstico, quanto na avaliação de impactos, o que fragilizou a avaliação. As ideias propostas pelo governo para reduzir os impactos negativos da obra são conhecidas de outro projeto da Amazônia e novidade alguma foi apresentada, de acordo com o Ibama.

A comprovação do projeto depende da realização de audiências públicas e de pareceres de outros órgãos, como a Fundação Nacional do Índio (Funai) e do Instituto de Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan). As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Publicidade

Posts relacionados