Governo Darci vai realizar maior operação de construção de pontes na zona rural

Administração da Parauapebas vai investir quase R$ 10 milhões para levar pontes de concreto armado até áreas que se localizam a 90 km da sede. Prefeito elegeu o campo como prioridade
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print

Continua depois da publicidade

E vem mais obra por aí em Parauapebas, com capacidade para abertura de, pelo menos, cem postos de trabalho com carteira assinada no setor da construção civil e de aquecer o mercado local de suprimentos. O município, que está entre os 20 maiores geradores de empregos do Brasil, acaba de lançar edital de concorrência para escolher o “gato” responsável pelo maior programa de construção de pontes de concreto da história.

Nesta sexta-feira (2), o Blog do Zé Dudu folheou a íntegra do edital do certame, por meio do qual o governo de Darci Lermen pretende aplicar R$ 9,309 milhões na construção de nove pontes em localidades cuja distância do centro da cidade chega a 90 quilômetros – mais longe que ir de Parauapebas a Eldorado do Carajás. A conferência das propostas comerciais está marcada para de hoje a um mês.

A licitação está dividida em dois lotes, pelo que foi levado em conta a distância entre a sede urbana de Parauapebas e o local exato das pontes. Do lote 1 fazem parte as estruturas das localidades denominadas Nazareno (a 42 km), Palmares 2 (25 km), Acesso à Arrailândia (60 km) e Vicinal Bobó (70 km). Já no lote 2 estão as estruturas da Cachoeira Preta (90 km), Baixão do Miranda (80 km), Vicinal Jardim Simplício (50 km), Vila Carimã (45 km) e a ponte do Rio Novo na Palmares 2 (25 km).

Segundo a Secretaria Municipal de Governo (Segov), autora da licitação, as pontes localizadas nas principais vicinais do município são essenciais para garantir o acesso à zona rural e a circulação das mercadorias dos colonos. A maioria delas, no entanto, é de madeira e exige frequente manutenção corretiva, o que gera alto custo ao erário e constantes transtornos à população campesina. 

De acordo com o prefeito Darci Lermen, além do trabalho de reestruturação urbana que sua gestão vem desenvolvendo na cidade, por meio do Programa de Saneamento Ambiental de Parauapebas (Prosap), a requalificação da infraestrutura rural também está no radar de investimentos, tanto por meio de pavimentação de estradas quanto em construção de pontes essenciais. “Em várias localidades, as pontes existentes encontram-se completamente deterioradas, de modo a colocar em risco a segurança dos cidadãos que trafegam pelas vicinais,” observa o gestor, destacando que busca melhorar as condições de vida da população do campo, cuja realidade ele, Darci, conhece bem.

Produção do campo

Pouca gente se dá conta, mas o campo de Parauapebas contribui com muitos milhões de reais na formação do Produto Interno Bruto (PIB) local. O PIB é a soma das riquezas produzidas em determinado período. E, no caso de Parauapebas, embora a mineração seja a atividade dominante, as produções agrícola e pecuária também dão sua parcela de contribuição.

Os dados mais recentes do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), referentes à atividade do campo consolidada em 2019, mostram que a produção de pescado no município movimenta anualmente R$ 1,5 milhão, enquanto a produção de leite, ovos e mel rende R$ 5,2 milhões. Da terra brota uma colheita de diversas commodities que contribui com R$ 126,63 milhões na economia local. Todos esses dados são de comercialização com notas fiscais. A economia subterrânea ou informal movimentada pelos pequenos produtores pode ser o dobro. 

CONFIRA AS PONTES QUE SERÃO CONSTRUÍDAS EM CONCRETO ARMADO

  1. Nazareno ― 21 m de comprimento por 4,2 m de largura
  2. Palmares 2 ― 21 m de comprimento por 4,2 m de largura
  3. Acesso à Arrailândia ― 28 m de comprimento por 4,2 de largura 
  4. Vicinal do Bobó ― 35 m de comprimento por 4,2 de largura
  5. Acesso à Estrada da Cachoeira Preta ― 21 m de comprimento por 4,2 m de largura
  6. Cachoeira Preta (Baixão do Miranda) ― 28 m de comprimento por 4,2 m de largura
  7. Palmares 2 (Novo Rio) ― 35 m de comprimento por 4,2 m de largura
  8. Vicinal Jardim Simplício ― 42 m de comprimento por 4,2 m de largura
  9. Vila Carimã ― 28 m de comprimento por 8,6 m de largura