Governo conhece gestão ambiental do maior Polo Industrial do Hemisfério Sul

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print

Continua depois da publicidade

Interessada pela gestão da segurança, saúde, meio ambiente e responsabilidade social no Polo Industrial de Camaçari, no Estado da Bahia – considerado o maior Complexo Industrial Hemisfério Sul – uma comitiva de gestores ambientais do Pará participou de um encontro realizado pelo Instituto do Meio Ambiente e Recursos Hídricos do Estado (Inema), na manhã da última quarta-feira, 16, na sede da Federação das Indústrias do Estado da Bahia (Fieb) em Salvador, capital do Estado. Além do grupo de gestores ambientais, o encontro contou com a presença de representantes da Companhia de Desenvolvimento Econômico do Pará (Codec), instituição que também atua na gestão e manutenção de Distritos Industriais no Estado do Pará.

No encontro, foram apresentadas as atividades realizadas pelo conjunto de instituições ligadas ao gerenciamento ambiental e administração do maior Distrito Industrial baiano que envolvem, além do Inema, o Comitê de Fomento Industrial de Camaçari (Cofic), composto por representantes das empresas associadas instaladas no Polo e a Central de Tratamento de Efluentes Líquidos (Cetrel), empresa responsável pelo monitoramento ambiental no Distrito que é referência para outros polos no Brasil.

“Além de boas vindas, a presença dessa comitiva é um reconhecimento importante para a Bahia, reforçando sua posição de referência a outros estados na gestão ambiental das indústrias”, ressalta a diretora geral do Inema, Márcia Telles, que discursou na abertura do evento e recepcionou a comitiva paraense.

Leonardo Carneiro, diretor de regulação do Inema, esclarece que a visita da comitiva ocorre com a intenção de melhorar o modelo de gestão ambiental das indústrias do Estado do Pará com base no modelo do Polo Industrial de Camaçari – um exemplo de eficiência. “A maioria das grandes indústrias são obrigadas a cumprir algumas condicionais da licença ambiental que estabelecem um programa de monitoramento, de emissões atmosféricas e de gestão de resíduos. Neste sentido, nosso modelo é bem feito”, disse.

Winiston Facuri, gerente regional da Codec, considera a visita de extrema importância para melhorias no modelo de gestão ambiental de distritos. “Com essa parceria, podemos aprender com quem já faz o gerenciamento ambiental de áreas industriais há bastante tempo. Neste sentido, vamos poder adaptar o modelo aplicado aqui à área do Distrito Industrial de Barcarena, adequando à nossa realidade”, frisou.

Para o secretário adjunto de Meio Ambiente do Pará, Thales Belo, a visita ao Polo de Camaçari é um momento de parcerias e troca de experiências. “Esse momento é de extrema importância para solidificar ações, trocar informações e firmar parcerias para desenvolver no Pará não apenas no órgão de gestão ambiental, mas também com as demais instituições”, afirma.

A diretora de Licenciamento Ambiental da Secretaria de Meio Ambiente e Sustentabilidade do Pará, Edna Corumbá, vê na Bahia uma referência no quesito. “Sentimos a necessidade de avaliar a sinergia dos impactos dos distritos e observamos aqui um trabalho integrado entre instituições e que conta com o Ministério Público, que está junto conosco e sugeriu que viéssemos conhecer o monitoramento de perto”, ponderou.

Além dos representantes da Codec, Semas e instituições locais, também participaram do encontro a secretária de Meio Ambiente de Barcarena, Juliana Nobre, o secretário adjunto Jun Mutó e Marat Troína, representante do Instituto Dialogue.