Parauapebas

Gabinete do prefeito de Parauapebas torra mais de R$ 40 milhões no 1º semestre

Cerca de 40% desse montante foram utilizados com desapropriações. Gastos de seis meses de prefeito e chefe de Gabinete sustentariam pelo menos 17 prefeituras durante ano inteiro.

O prefeito de Parauapebas, Darci Lermen, e seu chefe de Gabinete, Roque Dutra, fizeram o segundo município mais rico do Pará pagar, em despesas, uma quantia mais que suficiente para sustentar durante um ano inteiro o município de Nova Ipixuna, que cuida de 16.500 habitantes. Foram liquidados, de acordo com informações do Portal de Transparência da Prefeitura de Parauapebas, exatos R$ 40.766.096,14 por Darci e Roque. As informações foram levantadas com exclusividade pelo Blog do Zé Dudu.

E tem mais: em apenas um semestre sentados e dando canetadas, Darci e Roque poderiam sustentar tranquilamente 3.400 prefeituras brasileiras (61% das atuais 5.568), que ralam um ano inteiro e não conseguem ajuntar esses R$ 40 e tantos milhões. Nem é preciso ir muito longe: no Pará, pelo menos 17 prefeituras não conseguem arrecadar em 12 meses o que o prefeito e seu chefe de Gabinete sequer se esforçam para gastar em metade desse período.

A Prefeitura de Parauapebas, que atualmente nada em dinheiro numa maré alucinada de Compensação Financeira pela Exploração Mineral (Cfem), só não tem conseguido reverter as despesas hediondas em políticas públicas e desenvolvimento social para a população local. No final de junho, de acordo com o Ministério da Cidadania, o número de pessoas pobres era de exatos 64.540 habitantes, entre as quais 22.105 cidadãos em situação de pobreza extrema. Os números são públicos e podem ser checados no portal do Governo Federal, em posse do qual está o Cadastro Único.

Nos últimos dois anos e meio, enquanto a prefeitura municipal enriqueceu e ajuntou quase R$ 3 bilhões em receitas líquidas, o município de Parauapebas ganhou 3.000 novos pobres. O movimento deveria ser exatamente o contrário: os recursos públicos existem para, entre outros motivos, combater o alargamento da pobreza e da miséria, ação em relação à qual o hoje rico Parauapebas insiste em andar na contramão, agindo com medidas meramente paliativas e pontuais.

Aquisição de imóveis

Ninguém comprou tanto imóvel no Pará no primeiro semestre de 2019 quanto o Gabinete da Prefeitura de Parauapebas. Dos R$ 40,77 milhões gastos, aí inclusas as despesas com pessoal, o serviço predileto foi adquirir imóveis. Ao todo, foram 13 aquisições para chamar de sua, no custo de R$ 16.240.000,00, cerca de 40% das despesas da pasta.

A Prefeitura de Parauapebas, por meio do Gabinete, efetuou uma desapropriação de imóvel localizado na Fazenda Santo Andrea I, área rural, para ser utilizado em empreendimento de interesse público. Por esse imóvel foram realizados quatro pagamentos de R$ 1.000.000 (em 11 de janeiro, 13 de fevereiro, 15 de março e 15 de maio) e um pagamento de R$ 700.000 (12 de junho).

Também procedeu à desapropriação de 119,936 hectares da Fazenda Cachoeirinha, na zona rural, com objetivo de implantar aterro sanitário. Pela empreitada, o Gabinete de Darci desembolsou R$ 1.270.000 seis vezes (em 18 de janeiro, 12 de fevereiro, 14 de março, 12 de abril, 15 de maio e 12 de junho). E também fez a desapropriação de 59.466,11 metros quadrados de área urbana destinados à regularização fundiária do Jardim Novo Horizonte. Na missão, foram efetuados dois pagamentos de R$ 1.960.000,00 (ambos em 21 de janeiro).

3 comentários em “Gabinete do prefeito de Parauapebas torra mais de R$ 40 milhões no 1º semestre

  1. ARIMATEIA Responder

    Isso e para o.povo de parauapebas largar de ser besta botando esse verme no poder. Não a reeleição!

Deixe seu comentário