Forte alta em fusões e aquisições no Pará, aponta KPMG

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print

Continua depois da publicidade

O número de fusões e aquisições realizadas por empresas no estado do Pará teve uma forte alta de 83,3% no ano passado em comparação com o ano anterior. Em 2014, foram feitas apenas 11 transações durante o período contra seis em 2013. Foi a maior alta dos últimos cinco anos. Os dados constam em uma pesquisa realizada trimestralmente pela KPMG com 43 setores da economia brasileira.

Segundo o sócio responsável pelos escritórios da KPMG na região Nordeste e Norte, João Alberto da Silva Neto, os números mostram que o estado está se tornando atraente para os investidores, tanto brasileiros quanto estrangeiros.

“A maioria das operações fechadas no ano passado foi realizada por empresas brasileiras comprando outras brasileiras, o que mostra que o mercado interno está aquecido e que a região ainda tem grande potencial de crescimento. Além disso, as expectativas para esse ano são positivas”, analisa.

Dos 11 negócios fechados em 2014, oito são domésticos, dois CB1 quando estrangeiro compra empresa brasileira e um CB4, quando estrangeiro adquirindo, de estrangeiros, capital de empresa estabelecida no Brasil. Os setores envolvidos foram: educação (com quatro operações); companhias de energia; mineração; óleo e gás; serviços públicos; varejo; shopping center; madeira e papel (cada um com uma operação). Em toda Região Norte, foram realizadas 27 operações de fusões e aquisições em 2014 e o Pará ficou 40,74% desse total.

Sobre a pesquisa
A Pesquisa de Fusões e Aquisições da KPMG no Brasil é realizada trimestralmente e apura as operações efetivamente concluídas e divulgadas que envolvam empresas estabelecidas ou com presença no País.