Pará

Foragido acusado de integrar grupo de extermínio no Pará é preso no Tocantins

A polícia afirma que “Malucão” foi contratado, em 1994, para assassinar o fazendeiro Zacharias Pereira Diniz e o padre Ricardo Rezende, vigário de Rio Maria, a 25 km de Xinguara.

Getúlio Batista da Silva, conhecido como “Malucão”, foi preso nesta quarta-feira (13), em Araguacema-TO, a 285 km de Palmas. Segundo a Polícia Civil, ele é acusado de ser pistoleiro integrante de um antigo grupo de extermínio que atuava no sul do Pará. A captura do indivíduo se deu mediante cumprimente de mandado de prisão.

Conforme a polícia, “Malucão” foi contratado em 1994 para assassinar o fazendeiro Zacharias Pereira Diniz e o padre Ricardo Rezende, vigário de Rio Maria, a 25 km de Xinguara.

O grupo de extermínio do qual Getúlio fazia parte chegou a ser denunciado à Comissão Interamericana de Direitos Humanos para que o Brasil adotasse medidas com a finalidade de punir os responsáveis pelas violações dos direitos humanos na região sul e sudeste do Pará, envolta em vários conflitos agrários e palco de inúmeros assassinatos.

Getúlio Batista cumpriu apenas 12 anos pelos delitos que fora condenado, estando atualmente na condição de foragido por não ter cumprido as condições do regime semiaberto, evadindo-se do local de cumprimento da pena. Ele também é investigado por intimidar pessoas em Araguacema-TO, utilizando armas de fogo.

Deixe seu comentário