Filme “Pureza”, gravado em Marabá, só chega às telonas em 2020

A obra, estrelada pela atriz paraense Dira Paes, retrata a saga de uma mãe, cujo filho saiu do Maranhão para procurar trabalho, mas caiu nas garras do trabalho escravo
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print

Continua depois da publicidade

Com 90% das cenas gravadas em Marabá, em meados de 2018, o filme “Pureza”, produzido por Marcus Ligocki e dirigido por Renato Barbieri, já está pronto, com teaser circulando nas redes sociais e tudo o mais. Porém não chega este ano às telas dos cinemas. Inscrito em vários festivais, o longa só poderá ser visto em 2020, com data de lançamento ainda a ser marcada.

A obra, estrelada pela atriz paraense Dira Paes no papel-título, retrata a história de Dona Pureza, que decidiu procurar o filho Abel, após ele sair de casa, em Bacabal, no Maranhão em busca de trabalho, na década de 1990.

Na jornada, ela descobriu que o filho tinha sido vítima de trabalho escravo. Chocada com o que encontrou na região Norte do País, Dona Pureza denunciou essa prática a três presidentes da República e, nos anos 1997, ganhou um prêmio em Londres de Direitos Humanos.

Além de Dira Paes, o elenco de “Pureza” e a equipe do longa-metragem reúnem nomes experientes do cinema nacional e mundial. O filme possui apoio de entidades voltadas para erradicação do trabalho escravo, entre elas a Anamatra (Associação Nacional dos Magistrados da Justiça do Trabalho) e da própria Justiça do Trabalho da 8ª Região, que jurisdiciona o Pará e o Amapá.

Como determinados festivais não admitem inscrever obras que já tenham ou estejam sendo exibias, os produtores de “Pureza” preferem não correr o risco e devem lançá-lo no circuito nacional somente no ano que vem.

Publicidade