Ex-candidato a prefeito de Belém é alvo de operação da Polícia Federal

O delegado Everaldo Eguchi é acusado de vazamento de informações de uma operação realizada em 2018, que tinha como alvos empresários envolvidos na extração ilegal de manganês
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print

Continua depois da publicidade

A Polícia Federal deflagrou nesta quarta-feira (14) a Operação Mapinguari, que investiga vazamento de informações de operação da PF. As suspeitas recaem sobre o delegado Everaldo Eguchi, o mesmo que concorreu nas eleições do ano passado ao cargo de prefeito de Belém. A casa dele foi alvo de mandado de busca e apreensão, de onde os agentes levaram computadores, documentos e o celular do delegado, imediatamente afastado das funções até a conclusão das investigações.

Além do delegado, a operação também teve como alvo seis empresários ligados à exploração ilegal de manganês do sudeste do Pará, que tiveram acesso indevido às informações de uma operação. Estão sendo cumprimos oito mandados de busca e apreensão foram expedidos em Belém, Marabá, Parauapebas e no estado de Goiás.

Segunda a Polícia Federal, a investigação desse vazamento existe desde 2018 e trata da violação de sigilo funcional ocorrida durante a Operação Migrador, em Marabá. Ainda segundo a PF, na época o vazamento trouxe prejuízo para investigação porque os investigados tiveram conhecimento antecipado da ação policial. Os suspeitos não foram encontrados no dia da deflagração da operação.

Os crimes de violação de sigilo funcional, corrupção passiva e ativa, e associação criminosa, têm penas previstas superiores a 20 anos de reclusão.