Redenção

Escritor redencense vai lançar o oitavo livro em 2019

O escritor Elcione Damascena Martins, de 42 anos, nascido no Estado do Tocantins, porém criado em Redenção, vai lançar seu oitavo livro em 2019. Literato há mais de 15 anos, ele teve seu primeiro livro publicado em 2006. Ao longo de sua trajetória, escreveu sete obras: Poemas e poesias (2006); Poemas e poesias Parte II (2008); Quando a felicidade para nós raiar (2010); O sábado é o dia do Senhor e os Seis passos para conquistar uma mulher (2016); O amor é como uma flor (2017): e O sentimento do amor (2018). A mais recente obra, Os Últimos Dias, será publicada em 2019 e relata a reta final do mundo em que vivemos.

Em entrevista ao Blog, o escritor disse que publicar todos esses livros não foi fácil, pois, para conseguir realizar seu sonho, precisou enviar várias cartas à Rádio Nacional da Amazônia. “Eu tive um sonho e, para concretizá-lo, precisava de ajuda. Porém, as condições financeiras não me permitiam. Na época escrevi muitas cartas para a Rádio Nacional da Amazônia pedindo ajuda para realizar o meu sonho”, contou o escritor.

Nas cartas, Damascena relatava um pedido de um sonhador: “Caro locutor, sou Elcione Damascena, moro em Redenção, no interior do Estado do Pará. Quero pedir a vocês, da programação, Nacional Jovem, Artemiza Azevedo, Saudade Nacional e Carlos Moreira, que me ajudem a publicar um livro. Sou escritor, porém não tenho condições de publicar”.

Elcione lembra que na época, diferentemente de hoje, em que as redes sociais aproximam com mais rapidez as pessoas, o jeito mais fácil de se comunicar com alguém era o uso das cartas. Após tantas delas e em meio a dificuldades, o escritor foi atendido por Luiz Carlos Costa, ouvinte da Nacional no Rio de Janeiro.

“Luiz Carlos foi uma peça fundamental na minha vida como escritor. Na época, ele era amigo do dono de uma editora no Rio de Janeiro e só assim consegui publicar minha primeira obra” relatou.

De acordo com Elcione, a ideia de escrever surgiu como um sonho. “Eu tive um sonho de ser escritor, logo em seguida fui atrás desse meu desejo. As inspirações vêm de Deus”, disse ele, que faz parte da Academia Redencense de Letras (ARL), a qual agrega atualmente 18 escritores da cidade.

Deixe seu comentário