Em Paragominas, mãe, padrasto e vizinho são presos por estupro de crianças

Polícia chegou ao trio por meio de denúncia anônima. Crime tinha o consentimento da mãe, cujo vizinho já responde por estupro e estava em liberdade provisória.
Share on facebook
Facebook
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on twitter
Twitter
Share on print
Imprimir

Continua depois da publicidade

A prisão de três pessoas mostrou a crueldade vivenciada por duas crianças de 10 e 11 anos de idade, em Paragominas. A mãe, o padrasto e um vizinho são acusados de praticar os crimes sexuais. O trio foi preso nesta terça-feira, 5, por uma equipe da Delegacia da Mulher (Dema) do município de Paragominas.

Michele Generosa dos Santos, mãe das crianças, vivia maritalmente com João Fredson Ribeiro Moraes, e tem Francisco da Silva Moreira como vizinho. Os dois homens são acusados de estupro de vulnerável contra as crianças. Os crimes, conforme as denúncias, eram de total conhecimento da mãe das crianças, que nada fazia para impedir tamanha violência. Diante da informação anônima, a equipe da Deam com apoio de policiais civis da Seccional foi ao endereço para apurar os fatos.

“Constatamos que a criança de 11 anos havia faltado aula e estava com semblante triste no interior da residência em que morava com os agressores. Imediatamente, a equipe conduziu o padrasto à delegacia e procedeu a oitiva das vítimas com o apoio da equipe especializada”, informa a delegada Amanda Costa.

Durante os depoimentos das crianças realizados por meio de escuta especializada, elas relataram com riqueza de detalhes a violência que continuamente sofriam em casa. “Atestamos a veracidade da denúncia anônima recebida. A mãe sabia dos abusos e também tinha conhecimento de que seu vizinho participava (dos crimes sexuais) com seu companheiro”, ressalta a delegada.

As investigações constataram ainda que Francisco Moreira já responde a diversos procedimentos criminais em várias comarcas do Estado e que atualmente estava em liberdade provisória concedida pela Justiça em processo por crime de estupro de vulnerável cometido contra a própria enteada.

“Todos foram autuados em flagrante e as crianças receberão apoio de familiares e serão acompanhadas pelo Propaz e Conselho Tutelar”, garante a delegada Amanda Costa. A ação policial contou com o investigador Rodrigo, motorista policial França e escrivã Ananda e apoio da seccional.

Serviço: Para denunciar violência contra crianças e adolescentes, basta ligar para o  Disque 100, que funciona diariamente das 8 às 22 horas, inclusive nos fins de semana e feriados. O serviço é gratuito e garante o anonimato. As denúncias recebidas são analisadas e encaminhadas aos órgãos de proteção, defesa e responsabilização, de acordo com a competência e as atribuições específicas, priorizando o Conselho Tutelar como porta de entrada nas situações de crianças e adolescentes

Publicidade

Relacionados