Durante interrogatório, suspeito de dois homicídios nega participação nos crimes

Ele admite pertencer a uma das facções criminosas que agem na cidade, mas diz que não matou os integrantes da fação rival
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print

Continua depois da publicidade

Aconteceu nesta sexta-feira (26), na 20ª Seccional Urbana de Polícia Civil, em Parauapebas, o interrogatório de André Willian Silva do Nascimento, 20 anos, também conhecido como Hana. Ele é suspeito de participação em dois assassinatos ocorridos na cidade, tendo como vítimas Isaque Santos Roldão e Antônio Wesley Pereira, apelidado de Zói. Ele cumpre prisão temporária de 30 dias, decretada pela Justiça Estadual.

Antônio Willian admite pertencer a uma das facções criminosas que atuam na cidade e diz que já foi preso por porte de drogas, mas alega que “a polícia armou” para ele. Nega, entretanto, que tenha matado Isaque e Zói, que, segundo a polícia, pertenciam à outra facção.

O acusado nega que tenha conhecido as duas vítimas de assassinato e diz que soube das mortes pelo noticiário da televisão.  Afirma também que não tem amizade com o indivíduo conhecido com Capetinha, a quem só o conhece “de vista”.

O advogado de André Willian, Giovanni Oliveira Gomes, acompanhou o depoimento de seu cliente e afirma que está trabalhando para conseguir o relaxamento da prisão temporária dele. O profissional de Direito disse ainda à Reportagem que espera conseguir provar a inocência do rapaz, já que não há prova material de que o rapaz tenha participado de nenhum dos dois homicídios.

(Caetano Silva)

Publicidade