Deputados paraenses se mobilizam pela educação de Parauapebas

Vereadora Eliene Soares articulou reunião com a deputada federal Elcione Barbalho e o deputado estadual Chamonzinho em prol do ensino superior público no município.
Share on facebook
Facebook
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on twitter
Twitter
Share on print
Imprimir

Continua depois da publicidade

Ontem (20) e hoje (21), as vereadoras Eliene Soares (MDB) e Kelen Adriana (PTB), integrantes da Comissão de Educação da Câmara de Parauapebas, participaram de reuniões com várias lideranças paraenses levando demandas antigas do município para que possam ser resolvidas o mais rápido possível. A vereadora Eliene articulou encontro com a deputada federal Elcione Barbalho, a quem entregou um dossiê compilando as principais necessidades, entre as quais o fortalecimento do campus local da Universidade Federal Rural da Amazônia (Ufra) mediante a implantação de novas graduações.

Com um curso de Enfermagem praticamente pronto para ser instalado em Parauapebas, a Ufra é uma das instituições de ensino federal que caíram na tesoura do Governo Federal, a pretexto do contingenciamento de recursos do seu orçamento. Atualmente, a universidade oferta no município cinco cursos de graduação (Zootecnia, Agronomia, Engenharia Florestal, Administração e Engenharia de Produção) e um mestrado (em Saúde Animal) e já diplomou mais de 700 profissionais em mais de uma década de atuação em Parauapebas.

“A Ufra é um patrimônio do nosso município. A universidade, que é pública e mantém cursos regulares, está presente em Parauapebas desde 2004, quando iniciou com a primeira turma de Zootecnia. É importante que a Câmara Federal nos ajude a tornar essa instituição ainda maior em nosso município. Por isso, conto com a nossa deputada federal Elcione para fazer essa interlocução”, diz Eliene, lembrando ainda que o IFPA, com campus em Parauapebas, também precisa ser olhado com carinho para que possa expandir-se com cursos de graduação, já que atualmente possui um, de Automação Industrial, de nível tecnológico.

A deputada Elcione elogiou a pauta da vereadora e sua dedicação por querer um município melhor e destacou que não há desenvolvimento sem, antes, investimentos em educação e qualificação profissional. “Uma das minhas bandeiras é a educação. Ela é a condição essencial para melhorarmos nossa qualidade de vida”, explicou Elcione, ressaltando que estará do lado do povo de Parauapebas na luta pela ampliação da oferta de ensino superior público no município e que fará as intervenções necessárias da Câmara Federal.

Demanda pró-Uepa ganha som na Alepa

As vereadoras também marcharam na manhã desta terça à Assembleia Legislativa do Estado do Pará (Alepa) a fim de sensibilizar os vereadores para votar o Plano de Cargos, Carreiras e Remunerações (PCCR) da Universidade do Estado do Pará (Uepa) na Casa. Desde o ano passado, Parauapebas aguarda desfecho do PCCR, cuja aprovação na Assembleia e sanção do Executivo é condição vital para que a Uepa possa chegar à capital do minério.

As vereadoras estiveram com os deputados estaduais Chamonzinho e Martinho Carmona (ambos do MDB), que se mostraram sensíveis à luta. Inclusive, Chamonzinho já comprou a briga pela nobre e antiga causa de Parauapebas, da tribuna, diversas vezes. “Estamos à disposição para lutar pelas reivindicações que são importantes para a melhoria da qualidade de vida da população de Parauapebas. E a instalação do campus da Uepa é uma delas, tendo em vista que abre horizontes para que nossos jovens possam ter acesso a cursos superiores gratuitos”, observa Chamonzinho, conhecedor das demandas da região de Carajás.

Ele lembrou que a pauta das vereadoras é importante e que impacta a vida de muita gente. De acordo com números atualizados mensalmente pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Parauapebas tem 60,5 mil cidadãos com ensino médio completo, o correspondente a 38,5% da população com mais de 16 anos. Por outro lado, apenas 9.500 parauapebenses têm ensino superior completo, o equivalente a 6% dos habitantes. E só 5.700 cursam universidade no município, sendo que apenas 15% deles estão matriculados em cursos públicos.

“Precisamos melhorar nossos indicadores de acesso à universidade pública”, reflete Eliene Soares, enquanto Chamonzinho usou a tribuna na sessão de hoje para elencar as demandas de Parauapebas e pedir ao Executivo que acelere o PCCR, que voltou para a Casa Civil e tem de retornar, de novo, à Alepa para apreciação. O deputado também lembrou que a situação da estrutura do ensino médio em Parauapebas é precária, com escolas que precisam de reforma. Hoje, o município tem cerca de 11 mil estudantes matriculados na rede estadual de ensino. “Vamos fazer o que estiver ao nosso alcance para melhorarmos as condições da educação pública em Parauapebas”, prometeu.

Relacionados