Denarc prende “conselheiro” de facção criminosa investigada na morte de Policiais Penais no Pará

O acusado estava foragido do Sistema Penal desde 2013 e responde pelos crimes de tráfico de drogas, latrocínio e roubo qualificado
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print

Continua depois da publicidade

A Divisão Estadual de Narcóticos (Denarc) da Polícia Civil do Pará prendeu, na manhã desta segunda-feira (26), no município de Salinópolis, na região do Salgado do estado, um homem que estava foragido do Sistema Penitenciário desde o ano de 2013. O acusado responde pelos crimes de tráfico de drogas, roubo qualificado e latrocínio.

Segundo a Polícia Civil, após trabalho investigativo, também foi identificada a possível participação do preso na morte de Policiais Penais ocorridas em Belém. Logo, após obterem informações sobre a localização do acusado, uma equipe se diligenciou ao município.

No momento da abordagem, o foragido utilizou documentação falsa de habilitação para tentar escapar dos agentes, portanto o mesmo também foi autuado em flagrante por uso de documento falso previsto nos Artigos 304 do Código Penal.  Durante os procedimentos cabíveis, foram solicitadas perícias no documento apresentado e um inquérito foi instaurado para também apurar a origem do documento.

Segundo o delegado Ivens Monteiro, a prisão é fruto de um intenso trabalho investigativo que está sendo feito há cerca de dois anos na Denarc. “Contra o alvo há várias condenações pelos crimes de roubo qualificado, tráfico de drogas e latrocínio. Agora, após efetuarmos a prisão, ele será conduzido ao Sistema Penitenciário onde cumprirá a penalidade pelos crimes praticados”, afirmou o delegado.

O delegado Luiz Xavier, da Divisão Homicídios, destaca que o acusado tem a função de “conselheiro” de uma facção criminosa investigada pelas mortes dos Policiais Penais no Pará. “Com a prisão efetuada pela Denarc, o preso que é conselheiro final de uma facção criminosa investigada pela participação nos atentados contra agentes públicos, também foi ouvido na Divisão Homicídios para esclarecimento sobre esses crimes. Com mais essa prisão e oitiva, vamos continuar as investigações para que os crimes sejam elucidados”, frisa delegado.

Tina DeBord

Foto: Divulgação