Consultorias para Prosap e postinho entram no radar das obras de Parauapebas

Programa de saneamento pega quente no verão e já aplicou R$ 14,9 milhões este ano, maior parte em projetos de melhoria ambiental e habitacional e na manutenção da unidade executora
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print

Continua depois da publicidade

Mesmo com todas as dificuldades impostas pela pandemia do novo coronavírus, o mês de junho tem sido importante para o portfólio de obras da administração do prefeito Darci Lermen. O avanço físico do Programa de Saneamento Ambiental de Parauapebas (Prosap) e outras ações de infraestrutura dispararam na sede urbana do segundo município mais rico do Pará.

A prefeitura local acaba de fechar contrato no valor de R$ 263.473,39 para que um consultor especializado atue na área de engenharia, projetos e obras de infraestrutura urbana como suporte às ações do Prosap (veja aqui). Também contratou uma consultoria para implementação de ações de gestão territorial no âmbito do Prosap, por R$ 415.640,44 (veja aqui).

Dados levantados pelo Blog do Zé Dudu mostram que, de janeiro a junho deste ano, o Prosap usou apenas R$ 14,905 milhões (19,09%) dos R$ 78,082 milhões autorizados no orçamento para o programa, no decorrer de 2020. A maior parte dos recursos do Prosap, cerca de R$ 12,404 milhões, foi direcionada a projetos de melhoria ambiental e habitacional da área de intervenção do programa. Outra parcela, R$ 1,092 milhão, serviu para manutenção da Unidade Executora do Programa (UEP).

Também vai sair em breve o postinho do Bairro Cidade Jardim. A Prefeitura de Parauapebas anunciou que a construtora RR Cruz vai tocar a obra pelo valor de R$ 2.224.795,87, após vencer uma tomada de preços (veja aqui) organizada pela Secretaria Municipal de Saúde (Semsa). O postinho vai atender uma comunidade onde vivem 30 mil habitantes.

A pasta da Saúde usou R$ 121,821 milhões do fundo municipal, dos R$ 306,917 milhões previstos (39,69%). Em ações específicas de combate ao novo coronavírus, a Semsa registra até o momento R$ 8,049 milhões aplicados em instalações, equipamentos, materiais de consumo, exames de diagnóstico e medicamentos.

Publicidade