Marabá

Comerciários de Marabá apoiam greve geral, mas temem demissões caso participem

Por Eleutério Gomes – de Marabá Bancários do Banco do Brasil, Caixa, Banpará e Basa, assim como servidores públicos municipais, estaduais e federais de vários setores e também urbanitários, rodoviários e metalúrgicos prometem …

Por Eleutério Gomes – de Marabá

Bancários do Banco do Brasil, Caixa, Banpará e Basa, assim como servidores públicos municipais, estaduais e federais de vários setores e também urbanitários, rodoviários e metalúrgicos prometem fechar a Rodovia Transamazônica nesta sexta-feira (28), em protesto contras as reformas trabalhistas e da previdência. A concentração será a partir das 8 horas, em frente à agência do INSS.

Em Marabá, pelo menos 10 sindicatos que congregam várias categorias da indústria e do serviço público aderiram ao movimento e prometem cruzar os braços, acompanhando o movimento nacional.  Já entre trabalhadores do comercio, cerca de 5 mil na cidade, o sentimento é de insegurança quanto a participar ou não do movimento. Segundo o presidente interino do Sindicato dos Comerciários, João Luiz Barnabé, é mais difícil mobilizar a classe porque, embora todos sejam a favor da greve, têm medo de participar e ser demitidos. “Nós fizemos panfletagem e procuramos mobilizar pela rede social. Seria ótimo que todos participassem. Afinal, a luta é por uma causa justa”, argumenta ele, ouvido pelo blog.

greve1

Já o diretor-técnico do Sindicato do Comércio de Marabá, que congrega os empresários do setor, Raimundo Neto, diz que a orientação é para que os comerciários trabalhem normalmente. Neto justifica lembrando que a crise econômica no país se agrava a cada dia e não dá para parar as atividades com tantas contas, folha de pagamento e encargos para pagar.

“Temos enfrentado nos últimos meses vários feriadões. Cada dia que o comércio para as perdas são incalculáveis. Já vamos parar segunda-feira [1º de maio] de novo e parar também na sexta seria demais. Ninguém aguenta”, pondera Neto, que enviou ao blog neste tarde aviso sucinto da Fecomércio-PA (Federação do Comércio do Pará), divulgado nas redes sociais, em que a entidade comunica: “O comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado do Pará funcionará normalmente no dia 28/04/2017”.

2 comentários em “Comerciários de Marabá apoiam greve geral, mas temem demissões caso participem

  1. Mosavelino Responder

    Eu deixei de passar na ponte, por causo do movimento mais dou total apoio porque acho legitimo, o direito de cobrar seus direitos que estão sendo surrupiados por um bando de políticos,que como vimos não tem nenhum compromisso com seus eleitores, e eu até entendo esses políticos porque realmente o compromisso deles tem que ser com quem financiou a campanha deles com caixa 2, lavagem de dinheiro entre outros crimes, estes políticos que não são quadrilha porque quadrilha e algo pequeno por nível deles como vemos todos os dias nos noticiários, pelo grau de sagacidade envolvido notamos que estamos falando de uma organização criminosa que mentiu nas campanhas e se legitimou através do voto do eleitor e que agora quer impor a estes contribuintes esse tipo de situação. Então fica aqui o meu apoio ao movimento mesmo sendo prejudicado.

  2. Molotov Responder

    É a pelegada agonizando,podem até fazer barulho mais não irão parar o país,as pessoas de bem irão manter o Brasil produzindo,amanhã,a parte que não deixou o Brasil sucumbir nas mãos dos petralhas,dará mais uma vez o exemplo.

Deixe seu comentário