Clauber Martins, de Marabá, vence a etapa regional do VII Fecant

“É uma emoção muito grande, cada festival é uma experiência diferente. Agradeço sempre a cada festival”, comemorou Clauber Martins!
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print
Clauber Martins

Continua depois da publicidade

A canção “Brasil Baião”, do cantor e compositor Clauber Martins, de Marabá, venceu o Fecant Regional, concurso de composições inéditas de autores da região da Transamazônica do VII Festival Canção da Transamazônica (Fecant), na noite desta sexta-feira, 19, em Altamira. Ele levou para casa o troféu e o prêmio de R$ 7 mil. O festival continua no sábado, 20, com o Fecant Nacional, competição de músicas de autores de outras regiões do Pará e do Brasil, e encerra com show de Vanessa da Mata.

O evento acontece na Casa da Memória com distribuição gratuita de ingressos e transmissão ao vivo pela TV Record local e pelo canal do Festival Canção da Transamazônica no Youtube, a partir das 20 horas.

“É uma emoção muito grande, cada festival é uma experiência diferente. Agradeço sempre a cada festival”, comemorou Clauber Martins no palco do Fecant, logo após o anúncio do resultado. Ele agradeceu à mãe que está no Maranhão e, segundo ele, estava “orando” pelo sucesso do filho, assim como agradeceu às pessoas que viajaram daquele estado para assistir à apresentação em Altamira, bem como às pessoas que os acolheram na cidade.

Ele interpretou a própria canção no festival, disputando com outros 14 concorrentes. Em 2020, Clauber conquistou o 1º lugar e o Prêmio Átila Milhomen no VI Fecant. “Desejo que o Fecant tenha muitas edições e que continue revelando talentos”, finalizou.

Em segundo lugar ficou a canção “Acabou”, de Élis Lourenço, de Altamira, que também interpretou a música dela. Élis recebeu um troféu e o prêmio de R$ 5 mil. “Eu tô muito feliz, tô muito emocionada. Quero agradecer demais à Joelma Klaudia (organizadora), ao patrocinador (Norte Energia) e a todos que realizam esse evento incrível”.

O júri oficial do Fecant escolheu como Melhor Intérprete Vâni Oliver, que apresentou “Antologia Paraense”, composição de Agmael Lima, de Marabá. “Não tem coisa melhor do que ganhar como melhor intérprete”, comemorou.

Já a Melhor Letra da noite foi “Quando os pássaros se calarem”, de MC Soza, de Altamira, que também defendeu a própria música no Fecant. “Eu não tô acreditando (na premiação). Tô muito orgulhoso de estar aqui representando o rap de Altamira”, declarou. Vâni e Soza ganharam troféus e prêmios de R$ 1.500 cada um.

Antes do anúncio do resultado oficial, o festival contou com o show do duo formado pelos cantores Ney.com e Jéssica Lins.

O VII Fecant tem o patrocínio da Norte Energia, apoio da Lei Semear por meio do Governo do Estado do Pará através da Fundação Cultural do Pará (FCP) e o apoio da Prefeitura Municipal de Altamira.

Ingressos e doações

O festival acontece de forma híbrida com acesso restrito do público e uso obrigatório de máscaras. Os ingressos estão sendo distribuídos gratuitamente a partir das 9 horas da manhã, na Casa da Memória, sendo obrigatória a comprovação de que recebeu as duas doses da vacina contra a Covid-19.

A coordenadora do Fecant, Joelma Klaudia, falou sobre a expectativa para a última noite do Fecant. Ela pediu ao público que for assistir à competição e ao show de Vanessa da Mata, a doação de um quilo de alimento não perecível, que será repassado a pessoas necessitadas.

Fecant Nacional

E neste sábado, 20, mais 15 canções inéditas selecionadas de outras partes do Pará e do Brasil participarão do Fecant. Os 1º, 2º e 3º lugares receberão prêmios de R$ 9 mil, R$ 6 mil e R$ 5 mil, nessa ordem, enquanto o melhor intérprete e a melhor letra receberão R$ 1.500 cada um.

Clauber e vencedores de outras categorias

Confira as canções, autores e interpretes concorrentes do Fecant Nacional:

1) “Meu Zambelê”, de Toni Édson, de Maceió (AL), intérprete Mel Nascimento;

2) “Arani”, de Davi Amorim e Dudu Neves, de Belém (PA), intérprete Rogério Brito;

3) “Arara Azul”, de Robertho Ázis, de Três Rios (RJ), intérprete Ronald Saar;

4) “Folia Das Ondas”, de Márcio Farias, de Ananindeua (PA), intérprete o mesmo;

5) “Nhanderuvuçu Nagô”, de Chermont Jr, de Macapá (AP), intérprete o mesmo;

6) “Iagô”, de Naieme, de Belém (PA), intérprete a mesma;

7) “Ah! Nauê Boi-Bumbá”, de Pedrinho Callado, de Belém (PA), intérprete o mesmo;

8) “Fobia”, de Almino Henrique, de Belém (PA), intérprete Helinho Rubens;

9) “Essa Moça”, de Lena Garcia, de Imperatriz (MA), intérprete a mesma;

10) “Chorinho Pra Garotada”, de Jacinto Kahwage e Max Reis, de Belém (PA), intérprete Beth Corrêa;

11) “Em Cena”, de Alfredo Reis, de Belém (PA), intérprete o mesmo;

12) “Livre”, de Malu Guedelha, de Belém (PA), intérprete a mesma;

13) “Choro Manto”, de Casimiro, de Londrina (PR), intérprete o mesmo;

14) “Documento”, de Marcelo Sirotheau e Milton Santos Filho, de Belém (PA), intérprete Renata Del Pinho;

15) “Lendas da Preamar”, de Pedro Vianna, de Belém (PA), intérprete Grah Podanoschi.

Confira o vídeo da primeira noite do VII Fecant no canal do Festival Canção da Transamazônica no Youtube.

(Ascom Fecant/ Enize Vidigal. Imagens: Jaime Souzza- Na Marée)