CBM alerta para cuidados no manuseio de fogos de artifício nas celebrações de fim de ano

Como nesse período aumenta a utilização dos artefatos para celebrar Natal e virada de ano, também aumenta o número de acidentes. Por isso, o Corpo de Bombeiros recomenda cuidados redobrados, para que a festa não termine em tragédia
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print

Continua depois da publicidade

O Corpo de Bombeiros Militar do Pará (CBM) divulgou alerta, orientando a população a tomar cuidado na hora de manusear fogos de artifícios nas celebrações de Natal e Ano Novo. A corporação observa que nesse período de festas, aumenta o número de acidentes com esse tipo de artefato, inclusive com casos fatais.

Por isso, o CBM recomenda que é preciso ter cuidados para que a festa não termine em tragédia. Alguns cuidados, como adquirir os produtos de empresas licenciadas e fiscalizadas pelo Exército Brasileiro e inspecionadas pela corporação são de extrema importância.

Para tentar evitar acidentes, o capitão do Corpo de Bombeiros, Israel Souza, dá dicas para o manuseio correto dos fogos de artifício. “É importante fazer a inspeção do produto, verificar o acendedor, se a pólvora está mantida na integridade, se o produto não está amassado ou úmido, pois a umidade pode comprometer a pólvora, e se o fundo do material não está apresentando qualquer comprometimento. Vale ressaltar também que nunca devemos reaproveitar o material, se de repente ele foi aceso e não houve a explosão esperada. Não utilize fogos de artifício em locais fechados, somente em local aberto e com razoável distância de segurança, assim como é importante observar se não está ventando muito, pois o vento pode dar uma inclinação ou projeção diferente da esperada”, explica o oficial. 

Ele detalha que os fogos de artifício são divididos em quatro classes: Classe A, que possui menor potencial ofensivo, como os estalinhos, que são destinados a jovens e adolescentes na faixa de 16 anos; Classe B, que tem um poder pireufórico médio, liberado para a faixa de 16 e 17 anos, que são as bombinhas; Classe C, com poder de detonação maior, identificados como fogos de artifícios, os quais só podem ser manuseados por adultos acima de 18 anos; e Classe D, que só podem ser manipulados por profissionais blaster, utilizados em shows pirotécnicos.

O Corpo de Bombeiros do Pará atua no serviço preventivo com inspeções periódicas nos estabelecimentos comerciais que vendem produtos de bombinhas e fogos de artifício. A Corporação realiza ações de orientação e recomendações de emergência que a loja deve cumprir.

Em casos de ocorrência de acidente com fogos de artifício, o Corpo de Bombeiros do Pará dispõe de uma equipe exclusiva de serviço de pré-atendimento hospitalar, que atua após detectado o chamado de ocorrência pelo CIOP à corporação, que possui toda a estrutura e logística adequada para este tipo de atendimento.

Tina DeBord- com informações do CBM

Deixe seu comentário

Posts relacionados