Bombril vai instalar fábrica no Pará

Share on facebook
Facebook
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on twitter
Twitter
Share on print
Imprimir

Continua depois da publicidade

BombrilO diretor presidente do Grupo Bombril, Marcos Scaldelai, anunciou em audiência com o governador Simão Jatene nesta segunda-feira (21) que a empresa irá instalar no Pará uma nova fábrica da companhia, que hoje tem unidades em Minas Gerais e Pernambuco, além da sede, em São Paulo. Com mais de 60 anos de história, a fabricante de produtos de limpeza já vinha estudando as estratégias de expansão e escolheu o Estado para a nova fase.

O empreendimento deverá ser instalado no município de Castanhal, nordeste do Estado, e contará com investimentos da ordem de R$ 75 milhões. A audiência teve a participação do titular da Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico e Incentivo à Produção (Sedip), David Leal, do presidente do grupo e de outros diretores, que estiveram em Castanhal acompanhados de autoridades locais e empresários e de Lucélia Guedes e Murilo Carreteiro, da equipe da Diretoria de Desenvolvimento da Indústria e Atração de Investimentos (DDI) da Seicom.

“Acreditamos que, nos próximos dois anos, já estaremos instalados aqui. A visita é justamente para decidirmos os próximos passos, saber o que é necessário para montar uma empresa da Bombril neste local e começar o estudo de viabilidade para transformar essa planta em realidade”, explicou Marcos Scaldelai.

Segundo o empresário, o Pará está dentro da estratégia de expansão do grupo. “A planta que nos abastece hoje fica em Recife, e a gente tem investido muito por lá, mas estamos com a nossa capacidade tomada. Precisamos tomar uma decisão de expansão urgente. Por isso, a região Norte é extremamente estratégica, porque aqui temos uma grande concentração de volume e o potencial de triplicar a nossa participação local. Temos a possibilidade de fazer isso aqui em Castanhal”, disse Scaldelai.

Segundo David, o empreendimento irá ajudar no desenvolvimento local ao buscar produtos de empresas fornecedoras no Estado. “Neste aspecto, vale considerar que a Bombril vai agregar valor econômico aos produtos produzidos no Estado. A esponja de aço, por exemplo, usará materiais beneficiados na Sinobrás, a siderúrgica de Marabá, que está dobrando a produção anual, focada também em demandas desse tipo na região, algo que vem ao encontro de um grande projeto de desenvolvimento do atual governo”, frisou o secretário.

Ainda segundo  o titular da Sedip, o Pará foi escolhido pela localização estratégica e ambiente favorável à atração de novos empreendimentos. “Nosso Estado foi escolhido em função dos diferenciais de localização estratégica, por ser bem organizado e por ter a infraestrutura adequada para atender esse tipo de empreendimento. Temos aqui no Pará um ambiente de negócio favorável, recepção e acompanhamentos da equipe técnica que trabalha pela atração de novos negócios, que sempre foi uma das bandeiras do governo”, explicou o secretário.

O empreendimento da Bombril deve criar no Pará 202 empregos diretos e 37 indiretos. As principais matérias-primas usadas serão do próprio Estado, dando preferência para fornecedores locais. Entre estes produtos estarão caixas de papelão, rótulos, essências naturais e papel de embalagens. (APN).

 

Publicidade

Relacionados