Banco da Amazônia: dezessete agências deixam concorrência no Pará

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print

Continua depois da publicidade

Por “condições de remuneração inaceitáveis”, agências assinaram anúncio em conjunto para criticar Banco da Amazônia, que quer devolução de 25% da comissão, desconto de 40% sobre os serviços internos e honorários de 2% sobre os custos de terceiros como condicionantes da concorrência

Devolução de 25% da comissão, desconto de 40% sobre os serviços internos e honorários de 2% sobre os custos de terceiros; as condições da concorrência

Nada menos que dezessete agências se retiraram da disputa pelo Banco da Amazônia. Elas assinaram em conjunto um anúncio com duras críticas ao cliente, que é uma empresa de economia mista onde o Governo Federal é majoritário.

No texto elas enumeram algumas das regras que seriam impostas à vencedora: honorários de, no máximo, 2% sobre os custos dos trabalhos que exijam a participação de terceiros (como gráficas e produtoras), podendo chegar a zero; desconto de, no mínimo, 40% sobre os serviços internos tabelados; obrigação de devolver 25% da comissão paga pelos veículos; e a necessidade da agência manter um núcleo de mídia operando fora das instalações com funcionários e infraestrutura. “A operação seria praticamente deficitária”, concluem as signatárias.

Segundo fontes, apenas três agências seguem na disputa por duas vagas: a Vanguarda Propaganda, a DC3, ambas do Pará, e a Focus, do Maranhão. “E elas teriam ainda de concorrer entre si a cada trabalho, como hoje acontece, correndo o risco de trabalhar sem remuneração”, afirma o texto das agências.

Antes da retirada em massa, Abap – Associação Brasileira de Agências de Publicidade capítulo do Pará e o Sinapro – Sindicato de Agências de Propaganda do Pará, entidades que representam as agências do estado, procuraram o banco para expor suas razões. “E não foram recebidas e sequer ouvidas”, garantem as agências.

As signatárias do anúncio são Bastos Propaganda, Brado Comunicação, CA Comunicação, Castilho Propaganda, Eko Comunicação, Fax Comunicação, Gaby Comunicação, Galvão Comunicação, Gamma Comunicação, Griffo Comunicação, i9 Mais Comunicação, Ivo Amaral Publicidade, Latina Comunicadores, Madre Comunicadores, Mendes Comunicação, Norte Comunicação e Planet Comunicação.

O Banco da Amazônia foi procurado pela reportagem, mas não respondeu aos questionamentos até o fechamento desta nota.

Confira o anúncio abaixo:

Fonte: Meio & Mensagem