Avô de 71 anos é preso acusado de estupro de vulnerável contra a neta de três anos

Ele nega e diz que a menina convive com outras pessoas no dia a dia, mas não cita nomes. A garotinha se queixa de muita dor e disse no hospital: "Vamos matar o vovô"
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print

Continua depois da publicidade

No final da manhã de ontem terça-feira (29), policiais da Delegacia Especializada ao Atendimento da Criança e ao Adolescentes (Deaca), prenderam, na Vila Palmares Sul, zona rural de Parauapebas, Manoel Ferraz Neto, 71. Pesa contra ele a acusação de estupro de vulnerável, crime que teria sido cometido contra a própria neta, uma criança de apenas três anos de idade. Ouvido pela Reportagem, ele nega a acusação.

A equipe da delegada Ana Carolina de Abreu, titular da Deaca, foi chamada por médicos do Hospital Municipal de Parauapebas, após a criança ter dado entrada na emergência, sentindo fortes dores na região pélvica.

De acordo a delegada Ana Carolina, também titular da Delegacia Especializada no Atendimento à Mulher (Deam), além da dor pélvica, os médicos constataram que havia sinais de abuso sexual recente. Quando o médico foi examiná-la, a criança se retraiu, disse que estava sentindo muita dor e afirmou que o avô havia tocado na região genital dele.

Após o primeiro diagnóstico do médico, uma médica foi chamada para que também examinasse a criança. A criança se mostrou mais retraída ainda, queixou-se novamente da dor e mais uma vez acusou o avô de ter tocado nela, inclusive nas nádegas, dizendo ainda: “Vamos matar o vovô, vamos matar o vovô”. A médica também constatou sinais agressão sexual.

Para a Reportagem, Manoel Ferraz disse que nada fez contra a neta, afirmou que não estuprou a criança e insinuou que outras pessoas lidam com a menina no dia a dia, mas não citou nomes.

(Caetano Silva)