Altamira: Com redução de casos de Covid-19, HRPT retoma cirurgias eletivas

Os procedimentos começam a ser realizados a partir desta sexta-feira (9). A unidade seguirá protocolos rigorosos para segurança e proteção de pacientes e colaboradores. Os casos de Covid-19 seguirão assistidos em uma ala exclusiva
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print
HRPT vai retomar a realização de cirurgias eletivas a partir desta sexta-feira (9)

Continua depois da publicidade

O Hospital Regional Público da Transamazônica (HRPT), em Altamira, no sudoeste do Pará, retoma, nesta sexta-feira (9), a realização de cirurgias eletivas, ou seja, não urgentes. Os procedimentos serão retomados devido à redução de internações de pacientes infectados com a Covid-19.

O HRPT tem capacidade para realizar, em média, 300 procedimentos por mês. Segundo a direção do hospital, o retorno é essencial para dar seguimento no atendimento de outras enfermidades, que seguem acometendo a população durante a pandemia do novo coronavírus.

A casa de saúde pertence ao governo do estado e é gerenciada pela Pró-Saúde. Visando à qualidade e segurança de pacientes e colaboradores, o hospital adotou rigorosos protocolos de proteção, conforme diretrizes do Ministério da Saúde.

Segundo o médico Mário Franco, diretor Técnico do HRPT, as equipes assistenciais estão preparadas e possuem plenas condições de atender à demanda de pacientes eletivos com segurança, sem comprometer o atendimento aos casos de Covid-19.

“Possuímos quatro salas cirúrgicas para atender a demanda e somos uma importante referência regional. Nos aperfeiçoamos continuamente, adotando novas estratégias e realizando as readequações necessárias, sempre visando ofertar os atendimentos essenciais para a população, com segurança e excelência”, garante o diretor.

O agendamento dos procedimentos cirúrgicos é realizado por meio da Central de Regulação da Secretaria de Estado de Saúde Pública do Pará (Sespa). Segundo Mário Franco, com a queda das internações de pacientes em tratamento de Covid-19, a ala exclusiva para casos da doença terá uma redução no número de leitos, passando de 50 para 20, sendo 10 leitos clínicos e 10 de Unidade de Terapia Intensiva (UTI).

Com isso, serão disponibilizados 30 leitos para atender outros pacientes. A unidade já realizou mais de mil atendimentos desde abril do ano passado, quando passou a ser referência para os casos graves do novo coronavírus na região do Xingu.

De acordo com o secretário de Estado de Saúde Pública, Rômulo Rodovalho, apesar da pandemia de Covid-19, outras patologias não deixaram de existir e afetar a população paraense. “Com o avanço da vacinação contra a Covid-19 e a redução no número de casos da doença é importante que os hospitais estaduais, como é o HRPT, retornem aos seus perfis originais para atender a demanda reprimida causada pela pandemia do novo coronavírus”, enfatiza.

Segundo a Sespa, o HRPT é reconhecido nacionalmente como um dos melhores hospitais públicos do Brasil. A unidade possui a certificação ONA 3 Acreditado com Excelência, concedido pela Organização Nacional de Acreditação (ONA). O reconhecimento atesta a qualidade dos serviços prestados à população no interior do Pará.

Tina DeBord

Posts relacionados