ALEPA: servidor-fantasma foi "contratado" com 1 ano de idade

A Assembleia Legislativa do Pará incluiu em sua folha de pagamento o nome de um funcionário que tinha um ano de idade na data de sua contratação, em 1988. Ricardo …

A Assembleia Legislativa do Pará incluiu em sua folha de pagamento o nome de um funcionário que tinha um ano de idade na data de sua contratação, em 1988. Ricardo Rafael Monteiro da Silva, que hoje tem 24 anos, é um dos 11 funcionários-fantasmas identificados até agora pelo Ministério Público, que investiga suposto esquema de fraudes na Casa.

Um documento encontrado pelo Ministério Público aponta que, ao menos até agosto de 2009, ele aparecia registrado como técnico legislativo e supostamente recebia mais de R$ 15 mil em salário e gratificações (R$ 12 mil de rendimento líquido).

Silva, porém, trabalha como vendedor em uma peixaria de Belém, tem ensino médio incompleto e, segundo depoimento à Promotoria, nunca trabalhou em órgão público nem sabe onde fica a Assembleia.

A reportagem o procurou, mas o vendedor não quis dar entrevista. A Assembleia não soube informar se ele ainda faz parte da folha de pagamento.

Segundo o promotor responsável pelas investigações, Nelson Medrado, existe a possibilidade de os golpistas terem incluído o nome de Silva na folha de pagamento depois de 1988, para substituir a matrícula de outro servidor realmente contratado na época e que tenha morrido ou se aposentado.

O Ministério Público ainda aguarda a quebra de sigilo bancário da Assembleia, já determinada pela Justiça, para saber o número exato de laranjas na Casa.

Só então será possível saber também por quanto tempo eles permaneceram na folha de pagamento.
A investigação irá averiguar contas bancárias desde 1994. Desde então, a Assembleia teve sete presidentes, do PSDB, PMDB e PL.

Há duas semanas, uma operação do Ministério Público e da Polícia Civil prendeu quatro servidores, já liberados, e cumpriu mandados de busca e apreensão na sede da Assembleia e na casa do ex-deputado e ex-jogador José Róbson do Nascimento (PTB), o Robgol.

Fonte: Folha de S. Paulo

Um comentário em “ALEPA: servidor-fantasma foi "contratado" com 1 ano de idade

  1. Cidação Participativo Responder

    Câmara de Parauapebas x ALEPA

    Causa indignação saber que a corrupção predomina na “Casa do Povo”, a qual tem em suas funções fiscalizar a aplicação dos recursos públicos, auxiliada pelo Tribunal de Contas, cujos membros são na sua maioria indicados pela “Casa do Povo” e quase sempre a escolha beneficiando os próprios ou ex-deputados.
    A Corrupção na ALEPA tem o DNA do PMDB e do PSDB e a postura omissa, pra dizer o mínimo, do PT. Sâo desviados recursos públicos da folha de pagamentos, envolvendo o quadro de servidores comissionados e algumas licitações fraudadas. Na ALEPA tudo estourou graças a uma representação do Deputado EDMILSON RODRIGUES-Psol e a atuação do Ministério Público. Lá a vaca foi pro brejo, embora vejamos o cinismo tentar tapar o sol, cinismo muito bem representado pelo Deputado blogueiro PARSIFAL PONTES, que indicou um dos principais executores do esquema de corrupção.
    Mas em Parauapebas será que nossa “Casa do Povo” está a salvo de uma investida da transparência e da ética, quem irá promover essa necessária publicidade do uso do recursos públicos.
    Com a palavra os vereadores e o Ministério Público, principalmente este último que já recebeu representação e continua sem nada fazer.
    Zé Dudu, tu parece que tá na folha da Câmara.

Deixe seu comentário