Agronegócio movimenta R$ 5 bilhões no sudeste do Pará; confira os 10+

No município que mais produz commodities rurais do estado, o faturamento do campo é dez vezes maior que a arrecadação inteira da prefeitura local. Reis do gado também estão na lista
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print

Continua depois da publicidade

Ulianópolis, ao lado de Paragominas, é a principal praça financeira do Pará quando a roda de conversa se trata de agronegócio. Essa é a constatação a que chegou o Blog do Zé Dudu ao analisar dados do estudo do “Produto Interno Bruto (PIB) dos Municípios” recém-divulgado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) com referência a 2019, portanto, antes da pandemia de coronavírus.

O município de 62 mil habitantes, pouco conhecido dos paraenses, movimentou R$ 1,019 bilhão em riquezas, 10º melhor desempenho do país e praticamente o dobro do segundo colocado no estado, Óbidos, que gerou R$ 528,6 milhões em PIB no campo. Os 39 municípios que compõem o sudeste do Pará arrastaram R$ 5,191 bilhões em riquezas do campo, sendo que Ulianópolis gerou R$ 1 de cada R$ 5 faturados em toda a região.

Mas qual o segredo que torna Ulianópolis tão especial para a economia rural do Pará, em meio a medalhões famosos, como São Félix do Xingu, Marabá, Paragominas e Altamira? A resposta está na produção de commodities selvícolas, vegetais e agrícolas, sem contar o volume do combo da pecuária. Só em produtos agrícolas, Ulianópolis movimentou R$ 400 milhões.

Receita rural x receita da prefeitura

O Blog comparou o PIB agro de Ulianópolis com a receita líquida da prefeitura local de um ano todo e observou que o município movimentou dez vezes mais que a arrecadação de R$ 100,18 milhões da administração municipal. Se toda a receita saída do campo de Ulianópolis se transformasse em arrecadação para a prefeitura, o governo de lá seria o quinto mais rico do Pará, atrás das prefeituras de Belém, Parauapebas, Canaã dos Carajás e Marabá.

Além de Ulianópolis, outros municípios do sudeste do Pará se destacaram no quesito produção agropecuária. São Félix do Xingu e Marabá — o 1º e o 3º maiores em rebanho bovino do país, apelidados de “reis do gado” — estão entre os destaques. Os menores produtores de riqueza no campo gravitam em torno de Marabá e, paradoxalmente, são localidades com alta taxa de população rural, mas pequena extensão territorial. Abel Figueiredo (R$ 15,16 milhões), Palestina do Pará (R$ 18,17 milhões) e Brejo Grande do Araguaia (R$ 23,93 milhões) são os menores do ramo.

Confira o ranking dos 10 onde o agronegócio foi mais potente em 2019!

PIB AGRO DO SUDESTE DO PARÁ: OS 10 MAIORES

1º Ulianópolis — R$ 1,019 bilhão

2º São Félix do Xingu — R$ 454,99 milhões

3º Marabá — R$ 348,44 milhões

4º Paragominas — R$ 227,9 milhões

5º Novo Repartimento — R$ 225,33 milhões

6º Santana do Araguaia — R$ 210,18 milhões

7º Itupiranga — R$ 201,11 milhões

8º Santa Maria das Barreiras — R$ 190,57 milhões

9º Parauapebas — R$ 186,15 milhões

10º Cumaru do Norte — R$ 171,9 milhões