“Uma nova Guerrilha do Araguaia poderá surgir”, diz Ronaldo Caiado

Continua depois da publicidade

Por Wandell Seixas – Diário da Manhã

“Precisamos acabar com essa diplomacia invertida, e isso é que vamos cobrar dos ministros”
Ronaldo Caiado

Ronaldo CaiadoO deputado federal Ronaldo Caiado (DEM-GO), senador recém-eleito, está levantando uma questão que envolve a própria segurança nacional. É o acordo entre o Movimento dos Sem-Terra (MST) e o governo chavista da Venezuela Nicolás Maduro. Ronaldo Caiado tem o aval da Sociedade Goiana de Pecuária e Agricultura (SGPA) para “ir fundo”, conforme se prenunciou ao Diário da Manhã o presidente da entidade. Hugo Goldfeld está convencido que se “o barco correr como quer a Venezuela chavista, uma nova Guerrilha do Araguaia poderá surgir”.

A Guerrilha do Araguaia foi um movimento guerrilheiro surgido na região que, hoje, abrange Conceição do Araguaia e Marabá, no Pará. O movimento aconteceu entre os fins da década de 1960 e a primeira metade da década de 1970. O Partido Comunista do Brasil (PCdoB) propunha fomentar uma revolução socialista, através do meio rural, tomando por base o sucesso das experiências vitoriosas de Cuba, com Fidel Castro e Che Guevara, e na China, com Mao Tse Tung.

A celeuma tem ponto de partida no mês de março deste ano. Nesta data ocorreu a visita ao Brasil do vice-presidente do Desenvolvimento do Socialismo Territorial, Elias Jaua. Foi firmada, então, uma série de acordos nas áreas de formação e desenvolvimento da produtividade comunal entre o governo bolivariano e o Movimento dos Trabalhadores Rurais sem Terra do Brasil (MST), em Guararema, Região Metropolitana de São Paulo e considerada aprazível pelos turistas por ser uma cidade histórica, de belos casarões e nas montanhas.

O ministro para as Comunas e os Movimentos Sociais indicou em Caracas, capital da Venezuela, que os convênios têm como objetivo incrementar a capacidade de intercâmbio de experiências de formação “para fortalecer o que é fundamental em uma revolução socialista, que é a formação, a consciência e a organização do povo para defender o que há logrado e seguir avançando na construção de uma sociedade socialista”.

Esclarecimentos

O deputado Ronaldo Caiado está com a pulga detrás da orelha com todo o cenário inquietante no meio rural do Brasil. Para tanto, convocou os ministros das Relações Exteriores e do Desenvolvimento Agrário, respectivamente Luiz Alberto Figueiredo Machado e Laudemir André Muller para maiores esclarecimentos sobre esse acordo com o governo chavista. No fundo, o temor é de uma radicalização com interferência dos governos da Venezuela, com o convênio nebuloso com o MST, e de Cuba, com o envio de mais de 10 mil médicos, que se presume comprometidos ideologicamente com o socialismo bolivariano.

Atendendo à convocação de Ronaldo Caiado, estão previstos os comparecimentos à Comissão de Agricultura da Câmara Federal dos ministros do Desenvolvimento Agrário, Laudemir André Muller, quarta-feira, 12, e das Relações Exteriores, Luiz Alberto Figueiredo Machado, na Comissão de Relações Exteriores e de Defesa Nacional, dia 19, também numa quarta-feira.

Na opinião do senador eleito, é de senso comum que o MST é indiretamente financiado pelo governo federal, através de suas Organização Não Governamentais (ONGs) e o dinheiro público não pode servir para financiar interesses sombrios de um País ideologicamente alinhado ao partido que está no poder. Para Ronaldo Caiado, o governo tem a obrigação legal e constitucional de jamais permitir que sejam assinados acordos, para quem quer que seja, em que sejam violados os princípios da soberania e da não-intervenção.”Precisamos acabar com essa diplomacia invertida e isso é que vamos cobrar dos ministros”, defende.

A visita do ministro venezuelano do Poder Popular para as Comunas, Elias Jaua, foi marcada pela firmação de convênios do governo daquele país e do MST. Conforme a imprensa oficial do governo Nicolás Maduro, um grupo socialista-bolivariano está no país para “treinamento e desenvolvimento da comunidade”, a unidade do movimento no Paraná e em São Paulo. Na Venezuela, Jaua ainda acumula o cargo de vice-presidente para a sugestiva pasta do “Desenvolvimento do Socialismo Territorial.

‘Foi assim que começou o treinamento de uma força paramilitar de repressão aos movimentos contrários a Chávez na Venezuela. “Esta conversa de ajuda no campo não convence ninguém”, alerta Caiado. Hugo Goldfeld concorda em “gênero e grau com a posição do deputado democrata”, conforme frisou. O presidente da SGPA viveu o período do regime militar no Brasil e lembra que “as manifestações populares nas principais cidades brasileiras começaram pelo temor do comunismo no País e atualmente a situação mostra um governo titubeante em relação à democracia.”

Outro requerimento de Ronaldo Caiado solicita um convite à deputada venezuelana Maria Corina, opositora a Maduro, que pode esclarecer quais são os verdadeiros interesses do governo de seu país em financiar movimentos agrários no Brasil. O pedido deve ser votado na Comissão de Relações Exteriores nos próximos dias.

11 comentários em ““Uma nova Guerrilha do Araguaia poderá surgir”, diz Ronaldo Caiado

  1. anonimo Responder

    ELE CONSEGUI ESSE PATRIMONIO ATRAVES DE LATIFUNDIO GRILHAGEM DE TERRA COM MEDO QUER MST INVADEA TERRA DELE QUE ELE GRILHOUA PREÇO DE SANGUE

  2. mosquito encebado Responder

    qual a diferença entre a UDR e o MST?
    a udr representa 20% do que o brasil exporta,via agronegócio,o mst representa a baderna no campo,é o paradoxo de um país que quer ser grande e inverte os valores das coisas,aqui em nosso país a “banana come o macaco”.
    o mst representa o que há de pior no Brasil rural,grupelho de bandidos,amontoado de pistoleiro,baderneiros de plantão,contra essa raça só há uma linguagem,bala.

    • anonimo Responder

      udr e mst são tudo bandido so que udr ainda e pior porque são fandeiro como seu caído com muito crimes na costa so não tao na cadeia porque compra justiça eo caído tem se banido da politica esse bandido foi eleito por cincoenta milhão da populaçao

  3. Cássio Elleres Responder

    Esse líder da UDR é um ignorante mesmo. Onde já se viu “nova guerrilha”. Se tivesse mais conhecimento (o que é inadmissível parabum senador), não falaria tanta bobagem. Fazendeiro, vá cuidar de seu boi gordo e deixe o MST em paz.

  4. Cássio Elleres Responder

    Esse líder da UDR é um ignorante mesmo. Onde já se viu “nova guerrilha”. Se tivesse mais conhecimento (o que é inadmissível parabum senador), não falariactanta bobagem. Fazendeiro vá cuidar de seu boi gordo e deixeno MST em paz.virtude

  5. Molotov Responder

    para os petistas vivemos em plena democracia, eu diria que ainda vivemos em democracia,mas do jeito que a coisa vai,não por muito tempo!
    ronaldo caiado está coberto de razão,esse convênio tem o apoio do governo brasileiro,o pt só não assume,aliás como tudo que é anti ético,imoral ou atenta contra o estado de direito,eles nunca sabem de nada.

  6. anonimo Responder

    esse senhor era para ta procupado com as crilhagen de terra promovido por ele pela udr que tem muito se esplicar

  7. anonimo Responder

    esse deputado que ea agora senador fosse com meu vota não se elegeria por tem muita culpa no cartório devia não ta com apulga arras da orelha olha para udr que esse moço tem muito crime na costa contra trabalhadoree rural crilhagem de terra no estado para e tocatins ele deveria esta preso

  8. George Hamilton Maranhão Alves Responder

    A Guerrilha do Araguaia se deu dentro de um determinado contexto. Vivíamos uma ditadura e havia no mundo uma polarização entre os blocos capitalista e socialista.
    O tal convênio se dá entre uma instituição privada (MST) e um governo estrangeiro. Isso é lícito. Se a cooperação se dá no campo técnico é aceitável. Mas se a cooperação é para ensinar o MST a fazer revolução não é aceitável, além do fato de que o MST sabe fazer revolução.
    Não precisamos de alguém que nos ensine a fazer revolução e não precisamos de revolução. Vivemos uma plena democracia na qual os setores mais conservadores tem horror. Os setores conservadores têm horror à democracia e à liberdade. Não conseguem conviver com elas, só são felizes encarcerados e encarcerando.
    Mas é bom ficar de olho aberto, porém sem criar factóides a fim de favorecer um golpe. Caiado, como político de centrodireita está operando a sua parte.

Deixe seu comentário

Posts relacionados

%d blogueiros gostam disto: