Um assaltante morto e dois presos pela Polícia Militar na noite sexta-feira 13

Não se pode dizer que tenha sido um dia de sorte para as vítimas, mas, para os bandidos, com certeza, foi um dia de muito azar. Toc, toc, toc!
Share on facebook
Share on whatsapp
Share on twitter
Share on print

Continua depois da publicidade

Após uma série de assaltos e ameaças de morte no Bairro Cidade Jardim e arredores, em Parauapebas, na noite de sexta-feira (13), dois assaltantes foram presos em flagrante e um morreu baleado por uma guarnição da Polícia Militar, ao atirar contra os agentes de segurança. Ele se chamava Marcos Ribeiro Pinto, 26 anos, e estava fazendo um “arrastão” na companhia de Wesley Sousa Campos, 19, e Rodrigo Lima da Silva, 22.

Era por volta das 20h quando uma guarnição da Rocam (Ronda Ostensiva com o Apoio de Motos), do 23º Batalhão da Polícia Militar, recebeu a informação de que três indivíduos em uma moto estavam cometendo assaltos no Cidade Jardim, nas proximidades da Escola Terezinha de Jesus.

A guarnição se deslocou até a área indicada, mas os assaltantes já não estavam mais no local. Porém, informados sobre as características dos bandidos, os policiais militares passaram a fazer uma varredura na área.

Por onde passavam, eles ouviam relatos de assaltos e ameaças cometidos pelo trio. Em um dos casos, os bandidos tomaram uma moto de um rapaz, mas, como o alarme começou a tocar, seguiram uma mulher que estava com o filho de 3 anos de idade, em uma moto Honda Biz. A fizeram parar e, com uma pistola apontada para a cabeça da criança, a obrigaram a entregar o veículo e outros objetos pessoais. Antes, eles haviam tentado invadir uma casa, mas não conseguiram.

A operação continuou até os policiais avistarem o trio no Bairro dos Minérios, onde eles saltaram da moto e Marcos Pinto passou a atirar contra os PMs, que, para não serem atingidos, também atiraram nele, matando-o.     

O marido da vítima cujo trio de assaltantes tomou a moto Biz contou que, após ter sido assaltada, a mulher ligou para ele, que saiu de carro para buscá-la e ao filho, quando viu os assaltantes na esquina, na moto roubada, atacando outras pessoas. Transtornado, avançou com o veículo sobre os bandidos, mas não os atingiu em cheio. Quando fez outra manobra para bater na moto novamente, perdeu o controle do automóvel e acabou invadindo a casa de uma vizinha enquanto o trio fugia.         

Na Delegacia de Polícia Civil, ouvido pela Reportagem, Rodrigo Lima da Silva, negou com veemência que fizesse parte do trio de assaltantes, mas foi reconhecido pelo marido da mulher cuja moto foi roubada, o quer foi confirmado pelo homem também pelos ferimentos que o acusado apresentava nas pernas, resultado da batida com o carro.

(Caetano Silva)

Publicidade