Tribunal do Júri que julga os três Guardas Municipais de Parauapebas acusados de assassinato está acontecendo hoje em Goianésia

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print

Continua depois da publicidade

Estão sentados hoje (13) no banco dos réus do Tribunal do Júri da Comarca de Goianésia, no Pará, Giego Lúcio Santos de Oliveira, Raimundo dos Santos Matos e Raimundo Nonato Garcia  Araújo. Eles são concursados da Guarda Municipal de Parauapebas e acusados de assassinar Elzo Mendes de Souza, no município de Goianésia do Pará, distante 370 km de Parauapebas, em 04/11/2016.

O caso

Segundo a peça acusatória, por volta das 19h30, um veículo Prisma de cor preta, com o vidro dianteiro direito abaixado parou em frente à residência de João de Deus, Rua São Francisco, Vila Janari, Zona Rural de Goianésia do Pará, quando uma pessoa do interior do veículo perguntou a ele onde o vulgo “Pé de Gelo” morava, obtendo a resposta que Elzo Mendes de Souza (Pé de Gelo) morava na pensão da Baiana. A pessoa de dentro do veículo retrucou que “Pé de Gelo” estaria morando atualmente na Casa da Branca e seguiu nesta direção.  Logo em seguida foram ouvidos vários estampidos de disparos de arma de fogo. João de Deus e outras pessoas se dirigiram para o local dos fatos, e se depararam com Elzo Mendes de Souza morto, atingido por vários tiros na cabeça e no rosto.

Diante da notícia-crime, a Polícia Militar providenciou uma barreira na Vicinal Moram Madeira, quando, instantes após, por volta das 22 horas, um veículo Prisma cor preta foi abordado, no interior do qual estavam os três Guardas Municipais de Parauapebas, portando, indevidamente, pistolas e os demais equipamentos de trabalho. Eles foram presos e estão respondendo pelos crimes incursos nas penas dos artigos 121, §2º, III e IV do Código Penal Brasileiro, cumulado com o artigo 14, caput da Lei 10.826/00 e artigo 69 do CPB (fl. 207).

Preside o Tribunal do Júri o magistrado Lucas Quintanilha Furlan.

Publicidade