Tião Miranda inicia 2020 licitando obras para todo lado

Prefeito quer construir praça entre duas avenidas da Folha 22, mandou equipar academia ao ar livre numa pracinha de São Félix e vai erguer ponte na vicinal Tamboril, perto da vila Santa Fé.
Share on facebook
Share on whatsapp
Share on twitter
Share on print

Continua depois da publicidade

Amanhã, quinta-feira (9), a Prefeitura de Marabá vai apreciar propostas comerciais para construção de uma pracinha entre as avenidas VP-220 e VP-221, na Folha 22, núcleo Nova Marabá. É que Tião Miranda, um dos mais bem avaliados gestores do sudeste do Pará, disparou obras públicas por todos os cantos do município, trazendo em grande estilo o desenvolvimento da infraestrutura de que Marabá tanto precisa. A informação foi levantada pelo Blog do Zé Dudu.

A Secretaria de Viação e Obras Públicas (Sevop), responsável por organizar o edital do certame, estima que o custo da praça fique em torno de R$ 195 mil. O governo municipal alega que o espaço vai atender a demanda por nova área de lazer para os moradores da Folha 22. “As praças são locais onde as pessoas se reúnem para fins comerciais, políticos, sociais ou religiosos, e onde se desenvolvem atividades de entretenimento”, justifica a administração.

Além dessa obra, a Prefeitura de Marabá está recebendo nesta quarta-feira (8) as propostas para construção de uma academia ao ar livre na Praça dos Sonhos, no núcleo São Félix. De acordo com a Sevop, a empreitada está orçada em R$ 167 mil, com duração de oito meses a partir da ordem de serviço. Metade desse período é para a implantação da academia de fato, segundo o edital do certame publicado no final de novembro.

Na zona rural, o prefeito Tião Miranda vai erguer uma ponte de concreto de 24 metros sobre o Rio Café, nas imediações da vicinal Tamboril, próximo à vila Santa Fé. De acordo com a Sevop, que ainda não divulgou no portal de transparência do município o orçamento estimado para tal, o objetivo da ponte é facilitar o acesso à comunidade de Santa Fé, possibilitando o escoamento e o deslocamento dos colonos. O conjunto das três obras pode gerar a abertura de até 100 empregos formais na construção civil para no mercado de trabalho de Marabá.

Publicidade