Sensor indica presença de ouro em amostras de sondagem em 60 minutos

Continua depois da publicidade

gold-newcrestPesquisadores da Universidade de Adelaide, na Austrália, desenvolveram um novo método mais portátil e sensível para detectar ouro em áreas de mineração. A ideia do novo sensor é que as mineradoras consigam testar a existência de ouro nas amostras de minério obtidas a partir de sondagens direto nas plataformas, com resultado dentro de uma hora.

A partir de dois processos diferentes, que são fluorescência e absorção, os pesquisadores do Instituto de Fotônico e Sensoriamento Avançado (Ipas, na sigla em inglês) da Universidade de Adelaide conseguiram detectar nanopartículas de ouro em limites que são 100 vezes menores na comparação com os métodos atuais tradicionais.
“O ouro não é usado apenas para joias, o metal tem uma alta demanda para eletrônicos e aplicações médicas em todo o mundo. Ao mesmo tempo, a exploração de ouro é extremamente desafiadora, com o desejo de detectar concentrações muito baixas do metal em rochas”, disse Agnieszka Zuber, uma das pesquisadoras da universidade em comunicado divulgado ontem pela instituição.
De acordo com a Universidade de Adelaide, os pesquisadores conseguiram detectar menos 100 partes por bilhão de ouro na água. Agora, eles estão testando usar o método em amostrar reais de rochas, com resultados iniciais promissores, segundo a instituição. O trabalho é financiado pelo Deep Exploration Technologies Cooperative Research Centre, um centro de pesquisas australiano que apoia o desenvolvimento de tecnologias de exploração.
“A presença de ouro em uma área subterrânea muito profunda é estimada por análises de partículas de rochas que são retiradas de furos de sondagem. Mas os métodos portáteis atuais para detecção não são suficientemente sensitivas e os métodos mais sensitivos, que não são portáteis, precisam de algumas semanas para conseguir apontar os resultados”, afirmou Zuber.
De acordo com os pesquisadores, o sensor que está sendo desenvolvido é de fácil uso e vai permitir uma detecção mais rápida direto na plataforma de sondagem, precisando de apenas uma hora para determinar a quantidade de ouro. Diminuindo, dessa forma, os custos da mineradora.
O projeto de detecção de ouro foi um dos vários apresentados no evento Minerals and Energy Sector Workshop, realizado pelo Ipas da Universidade de Adelaide, ontem (29), na Austrália. O workshop visa conectar pesquisas voltadas para companhias locais do setor de mineração.

Fonte : Notícias de Mineração