Radialista Tião Costa morre vítima de complicações da Covid-19 em hospital de Marabá

Os amigos realizaram uma campanha de doação de sangue, mas Tião não resistiu e faleceu
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print

Continua depois da publicidade

Faleceu na tarde desta terça-feira (27), na cidade de Marabá, sudeste do Pará, Sebastião Costa da Silva, mais conhecido como Tião Costa, de 60 anos, vítima de complicações da Covid-19. Tião era muito querido no meio da comunicação do estado onde atuava como radialista, narrador esportivo, locutor, comentarista e repórter da Rádio Clube de Marabá, sendo internado no dia 12 de abril no Hospital Municipal com a Covid, quando no dia 16 deste mês foi transferido para o Hospital Regional onde estava na UTI e acabou não resistindo.

Tião era natural do Rio Grande do Sul, mas trabalhava no Grupo RBA de Marabá desde 2003 e deixa esposa e dois filhos. Uma campanha foi feita nas redes sociais em prol a saúde de Tião, quando amigos e familiares pediram doação de sangue no Hemopa. O radialista era torcedor do Grêmio (RS) e estava como diretor e um dos sócios fundadores do Marabá Atlético Clube (MAC), time que vai disputar a Segundinha do Parazão.

Logo após a notícia de sua morte, os amigos lamentaram em redes sociais lembrando com carinho de Tião e várias mensagens de pesar foram publicadas no perfil do radialista. Entre as homenagens estava de João Mauro Garcia, presidente do Marabá Atlético Clube, onde tinha uma admiração pelo amigo que se foi e estavam juntos no projeto da nova força que está surgindo no futebol do interior e na região sudeste do Pará.

“Tião foi um dos idealizadores e fundadores do Marabá Atlético Clube e como diretor do time vinha atuando na linha de frente na busca por patrocinadores. O esporte paraense perde um grande desportista. Descanse em paz amigo e que Deus conforte o coração de seus amigos e familiares”, afirmou João Mauro Garcia.

Seu companheiro de longas jornadas esportivas na Rádio Clube de Marabá, Paulo Henrique, o popular PH, também lembra com carinho de seu amigo. Foram anos trabalhando juntos em transmissões esportivas em diversos estádios do futebol paraense e viajaram juntos para coberturas em outros estados brasileiros, principalmente acompanhando jogos importantes do Águia de Marabá.

“O Tião trabalhava na Rádio Clube desde 2003 e eu já conheci como radialista. Durante todo esse tempo minha convivência com ele era diária, incluindo período de férias e mesmo de férias a gente conversava. Era um narrador cheio de alegria. Ele começou a sentir os sintomas no dia 8 e no dia 9 de abril, e ainda trabalhamos juntos na cobertura de Remo e Independente num off-tube e depois ele se sentiu mal e procurou atendimento médico. Passou 16 dias no hospital municipal e depois foi para o regional e ele se internou e hoje veio a falecer”, disse Paulo Henrique, repórter esportivo da Rádio Clube de Marabá.

Por Fábio Relvas / Fotos: Arquivo Pessoal