Preso em Parauapebas padrasto acusado de estuprar enteada de nove anos de idade

Uma irmãzinha da três anos da vítima foi quem contou em detalhes para a mãe o sofrimento da menina, confirmado por exames sexológicos
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print

Continua depois da publicidade

Uma equipe de policiais civis da Delegacia Especializada no Atendimento à Criança e ao Adolescentes (Deaca), de Parauapebas, prendeu, nesta quarta-feira (5), no Bairro Rio Verde, Dário Gonçalves Nascimento, 56 anos. O homem é acusado de estupro de vulnerável e a prisão dele foi solicitada à Justiça pela delegada Ana Carolina de Abreu.

Dário estaria abusando sexualmente de uma enteada de nove anos de idade, filha da mulher com quem convivia atualmente. Dias atrás, a mãe da garota procurou a Deaca e relatou à delegada Ana Carolina que, certo dia, ao chegar em casa, procurou pela menina e a irmãzinha dela, de três anos, disse que a garota estava no banheiro com o padrasto, descrevendo com detalhes o que o homem estava fazendo com a irmã.

A mulher abriu a porta do banheiro e a filha de nove anos saiu e contou que já estava sendo vítima de abuso sexual pelo padrasto fazia algum tempo, mas que nunca havia falado nada porque ele a ameaçava de morte, caso contasse para alguém.

Segundo a delegada Ana Carolina, o exame sexológico feito na garota comprovou que ela vinha mesmo sendo vítima de estupro, o que fundamentou ainda mais o pedido de prisão preventiva contra Dário Nascimento.

Ouvido pela Reportagem do Blog, o acusado negou que tivesse abusado sexualmente da enteada. Contou que, no dia em que foi flagrado pela mãe da menina, ela e a irmã brincavam de esconde-esconde e a garota, entrou no banheiro, onde ele estava fazendo a barba, e fechou a porta, para esconder-se da irmãzinha.

Quando a mãe da garota chegou, ainda segundo a versão de Dário, abriu a porta do banheiro e encontrou a filha lá, o que a levou a imaginar que ele estava abusando da menina. “Eu nunca encostei um dedo na menina”, disse ele repetidas vezes.

(Caetano Silva)          

Publicidade