Preso avô flagrado estuprando a neta de sete anos de idade, em Parauapebas

O tarado foi denunciado pela própria mulher, avó da vítima. Na Deam ele confessou o crime, mas culpou o demônio pelo abuso sexual. Custodiado na Carceragem do Rio Verde, aguarda a palavra da Justiça
Share on facebook
Facebook
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on twitter
Twitter
Share on print
Imprimir

Continua depois da publicidade

Está preso na Carceragem do Rio Verde Alderi Araújo Ferreira, 54 anos. Ele foi capturado em flagrante pelo crime de estupro de vulnerável contra uma neta de 7 anos de idade. Na delegacia, Araújo confessou crime e disse foi uma “tentação do demônio” o abuso sexual contra a criança.

A delegada Ana Carolina de Abreu, titular da Deam (Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher), que também trata de crimes contra a criança e o adolescente, contou à Reportagem do Blog que foi a própria avó da menina – mulher de Alderi – que a cria a neta como filha, que denunciou o avô estuprador, no domingo (15).

Na Deam, a mulher relatou que um filho dela flagrou Alderi praticando sexo oral na menina, que, lagrimando, balançava as pernas e implorava para que o avô parasse. Imediatamente, a avó, sem saber muito bem o que fazer, procurou um pastor em busca de orientação.

O religioso, entretanto, disse que ela não deveria procurar a polícia porque Alderi poderia ser preso. Ela, então, inconformada, consultou o filho, o qual disse que ela deveria sim, denunciar o tarado.

Na delegacia, a garota confirmou o abuso e disse que o avô já vinha abusando dela havia algum tempo, na cama em que ela dorme. Não soube, dizer, entretanto, há quantos dias ou meses vinha sendo vítima do tarado.

Diante de todas as evidências, a delegada determinou que o homem fosse preso em flagrante. Ele recebeu voz de prisão na obra em que trabalhava, na manhã de ontem (17). Na Deam, ele confessou o crime, disse que foi “um momento de fraqueza, uma tentação do demônio” e afirmou que está arrependido. Alderi Araújo encontra-se à disposição da Justiça e, caso seja condenado, pode pegar pena de oito a 15 anos de cadeia.

(Caetano Silva)

Publicidade

Relacionados