Prefeituras de Parauapebas e Canaã vão receber “escândalo” de royalties; veja

O que Parauapebas vai faturar em apenas um dia daria para pagar as contas de um ano todo de metade das prefeituras do Pará; Canaã receberá a maior quantia de sua tão jovem história.
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print

Continua depois da publicidade

Uma terrível quantia de dinheiro vai afogar os cofres públicos dos dois municípios brasileiros que, hoje, respondem por 33,6% de toda a multibilionária produção da indústria extrativa mineral do país. É tanto, mas tanto dinheiro que as prefeituras de Parauapebas e Canaã dos Carajás vão receber nos próximos 15 dias que o Blog do Zé Dudu teve de fazer as contas umas três vezes e pedir um “me belisca” para acreditar em tamanho volume de Compensação Financeira pela Exploração Mineral (Cfem), também apelidado de royalties de mineração com muito carinho pelos prefeitos que os recebem.

O Blog sempre antecipa — e com precisão — os valores mensais a que cada prefeitura de município minerador faz jus antes mesmo de a Agência Nacional de Mineração (ANM) usar sua calculadora para definir as cotas. Neste mês de outubro, as cifras são escalafobéticas e quase impronunciáveis.

A Prefeitura de Parauapebas, por exemplo, receberá numa tacada só R$ 76,415 milhões. Essa “lapada” de dinheiro vivo se dá em virtude do aumento da produção de ferro na Serra Norte de Carajás e, principalmente, devido à valorização da tonelada do minério no mercado internacional, onde os contratos futuros para a tonelada do produto com teor de 62% de pureza chegaram a aproximadamente 130 dólares.

Esse caminhão de dinheiro que Parauapebas verá na conta corrente do Banco do Brasil por volta do próximo dia 15 é mais que suficiente para pagar as despesas de um ano inteiro de metade das 144 prefeituras paraenses.

Já a Prefeitura de Canaã dos Carajás vai abocanhar uma “gorjeta” de R$ 69,067 milhões, o maior valor genuinamente decorrente de produção mineral mensal da história do município. Isso é mais que a arrecadação inteira de Canaã no ano de 2008 (R$ 66,773 milhões), quando o prefeito era Joseilton Ribita.

Com o valor que receberá nos próximos dias, o governo de Canaã consegue quitar os débitos do ano todo de 69 prefeituras do estado. Não por acaso, está a “apenas” R$ 100 milhões de “engolir” a administração de Ananindeua no ranking das prefeituras mais ricas do Pará. Hoje, a Prefeitura de Canaã dos Carajás é a que, proporcionalmente, mais enriquece no país e a que tem as contas públicas mais folgadas.

Ao todo, 49 prefeituras paraenses vão receber algum valor de Cfem neste mês de outubro, totalizando R$ 162,626 milhões. Além de Parauapebas e Canaã, meia dúzia de municípios vão receber mais de R$ 1 milhão: Marabá (R$ 6,44 milhões), Itaituba (R$ 2,756 milhões), Oriximiná (R$ 2,41 milhões), Juruti (R$ 1,401 milhão), Paragominas (R$ 1,315 milhão) e Novo Progresso (R$ 1,032 milhão).

VALORES NA ÍNTEGRA DAS PREFEITURAS QUE MAIS VÃO RECEBER ROYALTIES

  • Parauapebas: R$ 76.414.973,47
  • Canaã dos Carajás: R$ 68.066.592,05
  • Marabá: R$ 6.440.006,38
  • Itaituba: R$ 2.756.027,98
  • Oriximiná: R$ 2.410.270,80
  • Juruti: R$ 1.401.170,67
  • Paragominas: R$ 1.315.602,53
  • Novo Progresso: R$ 1.032.440,92
  • Ipixuna do Pará: R$ 773.444,74
  • Santa Maria das Barreiras: R$ 503.228,03
  • Terra Santa: R$ 496.459,24
  • Tucumã: R$ 419.691,30
  • São Félix do Xingu: R$ 155.073,68
  • Floresta do Araguaia: R$ 141.031,16