Por que não te calas, doutora?

Desrespeitando o Código de Ética da Medicina, Dra. Raijane Martins Barbosa Loras usa suas redes sociais para opinar sobre a morte de "Duda"
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print

Continua depois da publicidade

No último domingo (31), faleceu vítima de acidente o empresário Fernando Ferreira, o Duda. Figura polêmica, Duda era o tipo de pessoa capaz de dar um boi pra não entrar em uma briga. Porém, dava uma boiada pra não ficar de fora dela.

A morte de Duda foi o centro das atenções nas redes sociais em Parauapebas durante o início da semana. Em rápida pesquisa em páginas locais, podemos ver enxurradas de comentários de condolências à família e, também, outros tantos aliviados com a precoce partida de Duda, o que é natural devido à forma com que o jovem empresário conduzia suas redes sociais.

Todavia, nenhum comentário, em minha opinião, foi tão infeliz como o da médica acima citada. Isso porque ela não se refere ao defunto como a maioria dos que se sentiram aliviados com a morte de Duda. O que se viu no infeliz comentário da médica foram ódio, desrespeito à família enlutada e vontade consciente de ofender a reputação do falecido. [Ouça o áudio no final da matéria.]

Na esfera cível, comemorar a morte de alguém — apesar do Código Civil não reconhecer direitos da personalidade à pessoa morta, até porque a morte extingue a personalidade e todos os direitos a ela relacionados — pode motivar parentes do falecido a entrar com ação de indenização em razão de sofrerem o dano reflexo da ofensa.

É bom salientar que os direitos da personalidade do morto não são transmitidos aos herdeiros, mas estes sofrem os efeitos dessa ofensa, amparados pelo que judicialmente é conhecido como dano moral reflexo ou dano em ricochete.

A médica, apesar de ter apagado suas redes sociais assim que o comentário tomou corpo e passou a ser disseminado em massa, agiu de forma desrespeitosa e demonstrando total falta de humanidade, atributo sobre o qual todo profissional da saúde deve se alicerçar. Aquilo que postamos e o comportamento que temos em nossas redes sociais dizem muito acerca do que e de quem somos e do que acreditamos. Embora as redes sociais tenham virado “terra de ninguém”, devemos sempre pensar muito bem antes de postar ou comentar algo.

Meus pêsames à família da médica. Certamente a profissional de saúde demonstrou falecer socialmente após tão infeliz comentário.

https://youtube.com/watch?v=jkGaS0D7a98