Polícia Militar acaba com festa em Jacundá com mais de 50 pessoas

No local, além da aglomeração, proibida por decreto governamental, havia armas, droga e munições
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print

Continua depois da publicidade

“Que vai rolar a festa. Vai rolar! O povo do gueto mandou avisar”. É, em Jacundá, o que o dono do gueto nãos sabia é que a Polícia Militar também foi avisada anonimamente e se dirigiu até a Ilha Taboca, onde, na noite de sexta-feira (5) estava acontecendo a festança clandestina, regada a álcool e drogas e com gente armada.

Na ocasião foram presos Francisco de Assis Lacerda Costa, por infringir o artigo 268 do Código Penal Brasileiro, o artigo do 12 Estatuto do Desarmamento e o artigo 28 da Lei Antidrogas (Lei 11.343/2006); e José Atiles Azevedo Júnior, que desobedeceu ao artigo 14 Estatuto do Desarmamento.

No local foram encontradas, além de 52 pessoas, num desrespeito flagrante ao Decreto 800, do governo do Estado: três armas de fogo “tipo por fora”; quatro munições .20; aproximadamente 40 gramas de maconha de variedades diversas; 41 comprimidos de ecstasy; 4,9 gramas de cocaína; 14 comprimidos de efeito psicotrópicos não identificados; 4,7g de rapé; e vários apetrechos para preparação e consumo de maconha, como papel de seda cachimbo, piteiras, duas tesouras, sete dichavadores e porta cannabis, entre outros objetos.

Quatro veículos da 18ª Companhia Independente de Polícia Militar, de Jacundá, participaram da operação Erga Omnes, para acabar com a festa. Em entrevista à Reportagem, o comandante da 18ª CIPM, tenente coronel Emmett Alexandre Moulton, contou que uma denúncia anônima informou a ocorrência de uma festa com mais de 50 pessoas na Ilha Taboca, próximo da comunidade beirinha Santa Rosa, na região da represa da Hidrelétrica Tucuruí.

“Determinamos uma diligência e averiguação do fato in loco. Após confirmação do fato, montamos operação Erga Omnes ao comando do aspirante Romano. E constatamos a realização da festa com 52 pessoas. Foi realizada uma abordagem coletiva dos participantes, busca pessoal, busca nas instalações físicas, barracas e veículos”.

Logo, o trecho da música “Festa”, interpretada por Ivete Sangalo com letra de Anderson Festa Cunha, que abre a matéria, não terminou bem para os que formavam a aglomeração, diante de uma doença que está acabando a diversão para centenas de pessoas diariamente.

Diante dos fatos, os dois presos foram conduzidos para prestar esclarecimentos à autoridade policial e as demais pessoas foram dispersadas e mandadas para casa. Erga Omnes, em latim significa “para todos”. A operação mobilizou 15 policiais militares.

(Antonio Barroso)