Polícia Civil estoura abatedouro clandestino em Dom Eliseu

Segundo a polícia, os animais eram abatidos em um local sem as mínimas condições sanitárias. Os responsáveis pelo local foram presos em flagrante por crime Contra as Relações de Consumo
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print

Continua depois da publicidade

A Polícia Civil deflagrou, na noite de ontem (21), em Dom Eliseu, no sudeste do Pará, a Operação “Salus” para combater o abate clandestino e o comércio de carne imprópria para consumo humano. Durante a operação, três pessoas foram pesas em flagrantes acusadas de crime Contra as Relações de Consumo.

Segundo a Polícia Civil, ao constatar que um automóvel estava transportando carne bovina em cima do assoalho do veículo embalada em sacos de estopa, foi feita a abordagem. Indagado acerca da documentação pertinente, o motorista informou que não possuía documentação para o transporte da carne.

Ainda segundo a polícia, o alimento estava acondicionado de forma irregular, sem a temperatura adequada e sem refrigeração, além de estar embalada em sacos de estopa. Diante dos fatos, o motorista foi indagado sobre o local onde o animal havia sido abatido, tendo ele respondido que estava transportando a carga de um matadouro irregular.

Ele informou ainda que no local havia mais três animais abatidos para serem entregues ao comércio local. Diante da informação, imediatamente a equipe se deslocou até o matadouro.

O local, detalha a polícia, é insalubre e inóspito, sem as mínimas condições sanitárias. Os três animais abatidos de forma irregular, foram apreendidos.

Os responsáveis pelo local foram autuados em flagrante pelo crime contra as Relações de Consumo (Art. 7º, IX, da Lei 8.137/1990). A Polícia Civil observa que, o abate de animais, fora das exigências sanitárias previstas em lei, pode levar à contaminação da carne com zoonoses, doenças oriundas dos animais que podem ser transmitidas para o homem, como raiva, tuberculose e brucelose. Há ainda o risco de se contrair infecções, por isso é crime.

(Tina Santos)