Polícia Civil do Pará tem novo Delegado-Geral

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print

Continua depois da publicidade

Assumiu, nesta sexta-feira (06), o novo delegado-geral da Polícia Civil do Pará, delegado Cláudio Galeno de Miranda Soares Filho, em substituição ao delegado Rilmar Firmino de Sousa. O novo chefe da instituição policial estava à frente da Diretoria de Polícia Especializada (DPE) da Polícia Civil. Rilmar Firmino deixa o cargo após sete anos na administração superior da Polícia Civil do Pará. Dos sete anos, cinco passados como delegado-geral. É o delegado que mais tempo permaneceu no cargo em todo história da Polícia Civil do Estado.

Em janeiro de 2011, Rilmar Firmino tomou posse como delegado-geral adjunto, após a eleição do governador Simão Jatene, permanecendo no cargo por dois anos, durante a gestão do delegado-geral Nilton Atayde. Rilmar Firmino foi alçado ao cargo máximo da corporação policial, em 8 de janeiro de 2013, após a saída de Atayde. Com a reeleição do governador Simão Jatene, o delegado Rilmar Firmino continuou à frente da Delegacia-Geral, a partir de janeiro de 2015.

Mensagem de despedida do delegado Rilmar Firmino de Sousa:

“Senhor Governador, meus sinceros agradecimentos pelo respeito, pela confiança, ensinamentos e pela oportunidade de participar de uma gestão responsável e comprometida com a sociedade paraense. O senhor é um reconhecimento concreto da importância deste segmento do serviço publico para a paz e a tranquilidade da sociedade. Senhores secretários e gestores, muito obrigado por tudo, pela amizade, parceria, respeito e consideração dispensada a mim e à Polícia civil do Pará. Amanhã (hoje) já estarei à disposição da Delegacia-Geral e da Segup (Secretaria de Segurança Pública), para assumir função na área operacional. Obrigado a todos os amigos da Polícia Civil pelo apoio, respeito e consideração. Contem comigo sempre”.

Perfil do novo Delegado-Geral

Bacharel em Direito pela Universidade da Amazônia (Unama), e pós-graduado em Direito Penal e Processo Penal pela Escola Superior de Advocacia da Universidade Estácio de Sá, do Rio de Janeiro, o delegado Cláudio Galeno tem 17 anos de carreira na Polícia Civil do Pará. Nascido em Belém, em 1974, o novo delegado-geral foi nomeado como delegado e empossado na Polícia Civil em julho de 2000, após aprovação em concurso público. No mesmo ano, o delegado foi lotado na Delegacia de Soure, na Ilha do Marajó, onde por quatro anos. Em 2002, assumiu o cargo de superintendente regional dos Campos do Marajó em Soure. Em 2004, foi transferido para Belém, onde assumiu a direção da Seccional Urbana da Sacramenta.

No ano seguinte, assumiu o cargo de diretor da Delegacia de Repressão a Furtos e Roubos de Veículos Automotores (DRFVA), unidade policial onde permaneceu até 2006, quando assumiu a direção da Divisão de Repressão ao Crime Organizado (DRCO). Em 2007, foi alçado à direção da Divisão de Repressão a Furtos e Roubos (DRFR), permanecendo na função até o ano seguinte, quando passou ao cargo de coordenador do Grupo de Pronto-Emprego (GPE), unidade tática da Polícia Civil.

Em 2009, o delegado Claudio Galeno mudou-se para Brasília, onde atuou como assessor da Secretaria Nacional de Segurança Pública (Senasp) no Ministério da Justiça. Em outubro de 2010, o novo chefe da Polícia Civil retornou ao Pará, para desempenhar novamente a coordenação do GPE, onde ficou até janeiro do ano seguinte, quando foi nomeado para o cargo de diretor do Núcleo de Inteligência da Polícia Civil.

Já em janeiro de 2013, o delegado assumiu o cargo de secretário adjunto de Inteligência e Análise Criminal, da Secretaria de Segurança Pública e Defesa Social do Pará (Segup). Ele permaneceu no cargo até dezembro do mesmo ano. Entre os anos de 2014 e 2018, o delegado Claudio Galeno assumiu importantes cargos na Polícia Civil. Foi diretor da Divisão de Homicídios, diretor de Polícia Metropolitana e diretor de Polícia Especializada.

Entre suas condecorações, o delegado tem a Medalha da Ordem do Mérito Policial Militar “Coronel Fontoura” Graus Comendador e Cavaleiro; Medalha Evanovich de Investigação Policial; Diploma em reconhecimento aos extraordinários serviços investigativos prestados à Polícia Civil; certificado de reconhecimento pelos serviços de combate ao crime no Estado à frente da Operação Santo Graal em Belém; Diploma 15 de Agosto da Câmara Municipal de Belém pelos relevantes serviços prestados à capital paraense e comenda do Comando de Policiamento da Capital (CPC), da PM do Pará, em reconhecimento pelos serviços prestados à sociedade paraense.

Fonte: Polícia Civil do Pará