PM apreende madeira ilegal no valor de R$300 mil em Parauapebas

Durante operação conduzida pelo Tenente-Coronel Queiroz, comandante do Batalhão da Polícia Militar em Parauapebas que aconteceu na madrugada desta quarta-feira (28) na Zona Rural do município foram apreendidos cinco caminhões …

Durante operação conduzida pelo Tenente-Coronel Queiroz, comandante do Batalhão da Polícia Militar em Parauapebas que aconteceu na madrugada desta quarta-feira (28) na Zona Rural do município foram apreendidos cinco caminhões que conduziam madeira serrada e um carregado de toras.

DSC_9323A madeira supostamente é de origem ilegal e era oriunda da Vila 4 Bocas, Zona Rural do município de Itupiranga. O destino, segundo o Ten-Cel. Queiroz, eram depósitos de madeira de Parauapebas e Canaã dos Carajás. A madeira é do tipo castanha do Pará, que tem o corte e beneficiamento proibido por Lei.

Seis motoristas foram presos e aguardam para prestar depoimento na Seccional de Polícia Civil de Parauapebas, para onde foram conduzidos também os caminhões. A Polícia Civil já notificou o Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), que tratará das ilegalidades ambientas, enquanto a Polícia Civil investigará a origem e destinatários da madeira para autuá-los conforme prevê a lei. Segundo o delegado Rodrigo Paggi, há indícios, ainda, de que os caminhões têm sinais identificadores adulterados. Os seis motoristas  flagrados transportando madeira irregular responderão pelo que preconiza o art. 46, parágrafo único da Lei de Crimes Ambientais e por outros que surgirem no decorrer das investigações. Sabe-se, afirma o delegado, que alguns motoristas não estariam habilitados para conduzir veículos pesados, o que também é crime.

DSC_9339Segundo o comandante da PM local, a madeira apreendida está avaliada em aproximadamente R$300 mil e será repassada aos órgãos competentes, no caso ICMBio e IBAMA para que os mesmos procedam com a lavratura dos Autos de Infração e consequentemente se apliquem as multas aos extratores, condutores e receptores da madeira apreendida.

Reportagem e fotos: Ronaldo Modesto

Deixe seu comentário