Pesquisa nacional indica desaceleração de pandemia no Pará

Taxas que deduzem contágio apontam que entre 756 mil e 2,291 milhões de paraenses podem já ter sido infectados pelo novo coronavírus. Em Belém, Marabá e Castanhal, o pior já passou.
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print

Continua depois da publicidade

Dados divulgados ontem (2) pela Universidade Federal de Pelotas (UFPel) revelam que a pandemia do novo coronavírus está desacelerando na Região Norte, sobretudo nas cidades paraenses de Belém, Marabá e Castanhal, tão intensamente assoladas pelo alastramento dos casos da Covid-19. A constatação faz parte da terceira rodada da Epicovid19-BR, estudo organizado pela UFPel, a pedido do Ministério da Saúde, sobre a prevalência da infecção por coronavírus no Brasil. As informações foram levantadas pelo Blog do Zé Dudu.

Entrevistadores do Ibope, contratados para a pesquisa de campo, visitaram 250 domicílios em mais de 100 cidades do país no final de junho e observaram tendência de estabilidade no número de casos positivos de Covid-19 em vários municípios da Região Norte, enquanto a pandemia avança sobre outras regiões do país, principalmente o Sudeste e o Centro-Oeste.

Em Belém, a tendência é de queda. Na última rodada da Epicovid-19, apenas 5,1% dos entrevistados testaram positivo, sendo que a taxa havia partido de 15,2% e chegado a 16,9% na segunda campanha do levantamento. Isso demonstra claramente que o pico da pandemia do novo coronavírus já passou na principal metrópole da Amazônia. Não quer dizer, entretanto, que casos novos deixem de surgir diariamente. Apenas não aparecerão mais com a intensidade dos meses de abril e maio, quando o sistema de saúde da capital entrou em colapso.

Em Marabá, após prevalência de 10,3% de infecção pelo coronavírus na segunda etapa da pesquisa, a taxa de positivos caiu a 7%, a mesma registrada em Castanhal, que chegou a confirmar 15,5 doentes por Covid-19 a cada 100 testados. Também em Breves, que chegou a ser o município brasileiro com a maior taxa de infectados (21,2%), a prevalência baixou a 9,4%.

Na contramão, o contágio da Covid-19 ainda dá sinais de avanço em Santarém, onde a taxa de positivos bateu recorde de 17,9%, após 10,8% na segunda fase da pesquisa; em Altamira, que agora está com 4,7% de infectados; e Redenção, que está com 2,3% de detecção.

Com base nas taxas divulgadas pelas três etapas da Epicovid19-BR, o Blog calcula que no Pará, hoje, pelo menos 756 mil habitantes já tiveram Covid. Mas esse é o cenário de contágio mínimo, considerando-se a média nacional, de sete vezes mais casos que o registrado oficialmente. Nos padrões da Região Norte, onde a confirmação pode ser 21 vezes superior aos dados oficiais, 2,291 milhões de paraenses podem já ter contraído coronavírus.

Publicidade