PC do Pará deflagra III fase da Operação “Lampião” e prende suspeitos de integrar organização criminosa no Ceará

Os suspeitos, que foram presos em Fortaleza, estariam se organizando para criar bases das organizações criminosas no Pará. Eles já viriam agindo nos estados do Rio de Janeiro e Amazonas
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print
Membros da organização criminosa foram presos em Fortaleza (CE)

Continua depois da publicidade

A Polícia Civil do Pará deflagrou, nesta quinta-feira (15), a III fase da “Operação Lampião”, que cumpriu quatro mandados de prisão na cidade de Fortaleza, capital no estado do Ceará. A ação foi coordenada pela Diretoria de Polícia Especializada (DPE), Divisão de Repressão ao Crime Organizado (DRCO), Delegacia de Repressão a Facções Criminosas (DRFC) e contou com o apoio da Delegacia de Repressão a Ações Criminosas Organizadas (DRACO) da Polícia Civil do Ceará.

Segundo a Polícia Civil, a operação teve por objetivo combater facções criminosas que pretendiam se instalar no território paraense. Durante as diligências, duas mulheres foram presas.

De acordo com a PC, as investigações apontam que elas atuam como lideranças de uma facção criminosa nos estados do Amazonas e Rio de Janeiro, que pretendia agir no Pará. Outros dois acusados foram detidos por envolvimento com a compra ilegal de veículos e imóveis no Pará.

Conforme o levantamento feito pela Polícia Civil, o dinheiro utilizado nas transações era oriundo de atividades ilícitas, como roubo e tráfico de drogas. Para o delegado-geral da Polícia Civil do Pará, Walter Resende, o intuito é sempre o mesmo, fazer cumprir à justiça.

“A Polícia Civil do Pará não mede esforços para trazer tranquilidade ao povo paraense. Nossos agentes enfrentaram as adversidades de ir para uma região desconhecida, mas garantiram o cumprimento da lei. Com as prisões efetuadas nessa operação, vamos dar continuidade às investigações para identificar outros membros da associação criminosa e continuarmos o trabalho contundente de combate à criminalidade no Pará”, afirmou Resende.

Na fase I da operação, realizada nos dias 15 e 16 de fevereiro de 2021, cinco pessoas foram presas em Belém e Benevides, municípios da Região Metropolitana da capital paraense. A ação cumpriu mandados de prisão contra lideranças de uma facção criminosa que comandava crimes no estado do Ceará, desarticulando uma rota do tráfico no Pará.

Após a captura dos líderes, a equipe se diligenciou a um sítio no município de Benevides, onde mais três membros do grupo criminoso foram autuados em flagrante e aproximadamente 600 kg de entorpecentes foram apreendidos. A droga estava armazenada em um quarto e dividida em 19 sacos, com pedras de óxi e cocaína, avaliada em R$ 9 milhões.

Na fase II, ainda em fevereiro deste ano, a Polícia Civil, em integração com a Polícia Militar, apreendeu mais de uma tonelada de cocaína em Bujaru, no nordeste do Pará. A droga foi encontrada em dois veículos e levada à Divisão de Repressão ao Crime Organizado (DRCO), onde passou pelos devidos procedimentos de praxe. Todas os entorpecentes apreendidos nas duas primeiras fases da “Operação Lampião” já foram incinerados.

Os presos nesta etapa da operação respondem por organização criminosa, tráfico de drogas e por associação para o tráfico de drogas com base nas leis 12.850/13 e 11.343/06, respectivamente.

Tina Debord- com informações da PC Pará