Parque Zoobotânico Vale fica fechado no Natal e Ano Novo

Nos demais dias, o parque funcionará normalmente, das 10h às 16h. A emissão de tickets de acesso é feita diariamente pelo Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio)
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print
Macaco-aranha-da-testa-branca é uma das espécies presentes no Parque Zoobotânico Vale

Continua depois da publicidade

Durante as festividades de Natal e Ano Novo, o Parque Zoobotânico Vale (PZV) ficará de recesso. O espaço estará fechado nos dias 24 e 25, véspera e dia de Natal; e 31 de dezembro e 1º de janeiro, véspera e feriado de Ano Novo.

Nos demais dias, o parque funcionará normalmente, das 10h às 16h. A emissão dos tickets diários de acesso ao parque é feita pelo Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), na portaria da Floresta Nacional de Carajás, em Parauapebas.

Segundo a Vale, a visitação acontece mediante adoção de medidas sanitárias preventivas em função da Covid-19, como a exigência do uso obrigatório de máscara. Inaugurado em 1985, mesmo ano de início das operações da Mina de Carajás e da Estrada de Ferro Carajás (EFC), o parque se consolidou, ao longo desse período, como importante centro de conservação de espécies amazônicas e fonte para o desenvolvimento de pesquisas sobre a flora regional.

O espaço ocupa uma área de 30 hectares e conta com aproximadamente 70% de mata nativa. O PZV abriga aproximadamente 360 animais, de mais de 70 espécies, incluindo aves, mamíferos e répteis. Algumas das espécies são raras ou estão ameaçadas de extinção, como o gavião-real, ararajuba, onça pintada, suçuarana, macaco-aranha-da-testa-branca e macaco cuxiú.

Segundo a Vale, entre as principais atividades desenvolvidas no Parque Zoobotânico está o programa voltado à reprodução em cativeiro de espécies do bioma amazônico e que estão ameaçadas de extinção. Já foram alcançados importantes resultados, como o nascimento de filhotes de ararajuba, onça-pintada e harpia, a maior águia do mundo, chegando a 9 quilos de peso e 2,2 metros de envergadura.

Além de contribui com a conservação das espécies, o PZV serve como estoque genético e de formação para profissionais especializados em trabalhar em benefício da preservação da fauna e flora brasileiras, dentro do Programa de Manejo Reprodutivo para Conservação de Espécies Ameaçadas de Extinção e Relevância Biológica.

Para os interessados em conhecer um pouco mais sobre o PZV, é disponibilizado um tour virtual, onde a pessoa visita os principais recintos do PZV, os animais, a botânica do local, além de algumas curiosidades do parque. Quem quiser, pode conferir o tour virtual no vale.com/pzv.

Tina DeBord- com informações da Vale

%d blogueiros gostam disto: