Parauapebas: Secretaria Municipal de Obras tem novo gestor.

Share on facebook
Facebook
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on twitter
Twitter
Share on print
Imprimir

Continua depois da publicidade

imagePor motivos particulares, o até então secretário municipal de Obras, Dário Veloso, entregou o cargo ao prefeito Valmir Mariano.

Dário prestou relevantes serviços à Prefeitura de Parauapebas e o prefeito lamenta sua saída, mas respeita a decisão.

Em seu lugar, assume o engenheiro Wander José Nepomuceno. O atual secretário municipal de Planejamento passa a responder também pela Secretaria Municipal de Obras (Semob).

O decreto de exoneração de Dário Veloso é datado de segunda-feira (11) e a portaria que designa Wander Nepomuceno a responder pela Semob foi publicada nesta quarta-feira (13).

Fonte: ASCOM PMP

Nota do Blogger:

“Não havendo sábia direção, cai o povo…” (Provérbios 11:14)

Uma pena a saída prematura de Dario Veloso, que foi um dos mais competentes técnicos escolhidos pelo prefeito Valmir Mariano. Deixa agora o governo para tratar de assuntos pessoais e deve voltar assim que resolvido tais assuntos. Volta porque além de competente, Dário Veloso é um jogador que joga para o time, e é disso que o prefeito Valmir Mariano está precisando, de aliados. Sem eles, sei não, mas a tendência é de que este seja mais um governo pouco preocupado com o povo.

Quando soube da saída de Dário me lembrei daquela parábola bíblica (Juízes 9:8-15) em que as árvores procuravam um rei que as governasse.  Convidaram a Oliveira que, a pretexto de produzir azeitonas e o óleo da unção, não aceitou. Convidaram então a Figueira que também não aceitou porque gostava de produzir deliciosos figos para fabricação de doces. Repetiram o convite a Parreira que também recusou a oferta porque estava muito ocupada produzindo uvas para fabricação de vinhos.

E assim, uma a uma, cada árvore que tinha o potencial para reinar não quis se envolver com a política da floresta. Até que o espinheiro se apresentou como candidato a rei e, como não havia quem se interessasse pela política, ele assumiu o poder. Não dava sombra, nem produzia flores, não produzia frutos, tinha grandes espinhos que feriam quem se aproximasse.

Assim vejo o atual momento do governo Valmir. Um governo onde os que realmente têm potencial para ajudar pedem pra sair, sabedores que são de que a nau não navega em águas tranquilas e, pior, parece estar sem rumo certo, causando sofrimento ao povo que clamou por mudanças e ainda aguarda por elas.

Relacionados