Parauapebas

Parauapebas: Residência oficial do prefeito usa R$ 432 mil em “banquete dos deuses”

Valor é quase 4 vezes superior ao que prefeitura usou para comprar cestas básicas “peladas” para distribuir à população carente. Segundo Cidadania, pobreza extrema atinge 21.800 no rico, injusto e desigual município.

Uma licitação publicada na sexta-feira (28) da semana passada chama atenção para a gastança do Gabinete da Prefeitura de Parauapebas, comandado por Roque Dutra, com comidas que, em versões mais simples, dariam para sustentar boa parte da população carente do município. O Gabinete está contratando fornecedor de gêneros alimentícios (frutas, legumes, suplementos, carnes, frios, resfriados, polpas e pães) para atender as aldeias vinculadas ao Departamento de Relações Indígenas (DRI) e a residência oficial do prefeito Darci Lermen. As informações foram levantadas com exclusividade pelo Blog do Zé Dudu e podem ser checadas aqui.

O valor da compra para sustentar o banquete dos deuses? R$ 431.999,53 (quatrocentos e trinta e um mil, novecentos e noventa e nove Reais e cinquenta e três centavos). Isso mesmo, e a maioria desse valor será consumida em delícias para abastecer o congelador e o frigobar da residência oficial do prefeito, a pretexto de “atividades de reuniões e eventos promovidos pela residência oficial” para “atendimento do consumo durante as reuniões de comissões para tratar de assuntos de interesse do município”. Em justificativa para defender e ordenar a despesa, o chefe de Gabinete, Roque Dutra, alega que foram levados em consideração “os possíveis aumentos de demanda” e, também, o aumento das recepções.

Há, todavia, um claro descompasso entre as prioridades da gestão e as reais necessidades da população. As ações administrativas parecem não priorizar a erradicação da pobreza, que cresce em doses cavalares enquanto a prefeitura enriquece na esteira de recursos esgotáveis.

Ontem (1º), o Ministério da Cidadania atualizou as estatísticas sobre pobreza no país, e Parauapebas aparece com exército de 63.900 pessoas de baixa renda, entre as quais 21.800 em situação de extrema pobreza. Ainda assim, totalmente alheia e desconhecedora dos números, a administração local insiste no supérfluo.

Para se ter ideia, o gasto com comida para bancar as ações da residência oficial é quase quatro vezes maior que o montante desembolsado pela Secretaria Municipal de Assistência Social (Semas) este ano para comprar cestas básicas (veja aqui).

A Semas licitou 1.320 cestas básicas pelo valor estimado de R$ 159.297,60, cada uma ao custo de R$ 120,68 — mas o valor final real da licitação foi R$ 117.480,00. O Gabinete de Darci Lermen, pelo mesmo valor que topa gastar com comidas para eventos e recepções, poderia comprar 3.580 cestas básicas. Porém, a realidade é outra. Enquanto a residência oficial receberá diversos tipos de carnes, biscoitos e doces, além de um “pomar” de frutas frescas de primeira qualidade, ao povo, migalhas.

5 comentários em “Parauapebas: Residência oficial do prefeito usa R$ 432 mil em “banquete dos deuses”

  1. Pingback: Saúde pública de Parauapebas diminui despesas em 35% no comparativo com 2018 - ZÉ DUDU

  2. Pingback: Prefeitos estão agoniados sem liberação do crédito dos royalties de mineração - ZÉ DUDU

  3. ENGº RONALDO Responder

    meu nobre ROBERTO É SIMPLES ASSIM:

    “NÃO SE DÁ NOME BONITO A COISA FEIA; NÃO A RELEIÇÃO.”

  4. Roberto Responder

    Absurdo muitas pessoas passando necessidades, este prefeito tratando o dinheiro público como se fosse dele.

  5. Star Responder

    Que prefeito mais egoísta, pq que não serve um bolo e um café? Á vida poderia dar uma rasteira nele e por na situação de quem luta todos os dias para sobreviver em meio a miséria.

Deixe seu comentário