Pará

Parauapebas já tem candidata para o Miss Pará 2019

Ela gosta de alimentos orgânicos, de pop rock e rock, exercícios físicos, contato com a natureza, filmes românticos preferencialmente envolvendo animais e cores claras. E leitura? Nada de “O Pequeno …

Ela gosta de alimentos orgânicos, de pop rock e rock, exercícios físicos, contato com a natureza, filmes românticos preferencialmente envolvendo animais e cores claras. E leitura? Nada de “O Pequeno Príncipe”, de Antoine Saint-Exupèry, livro de cabeceira de dez entre dez candidatas a misses. Isso fica para antigamente.

Gislenny Lima Rêgo, 26 anos, é o retrato das mulheres modernas que buscam nas passarelas alcançar a coroa, não apenas da esplêndida beleza, mas da gloriosa inteligência. Ela é a Miss Parauapebas, que no dia 9 de fevereiro deste ano irá disputar o Miss Pará 2019, em Belém, na sede da Associação Pan Amazônia Nipo Brasileira.

Antes disso, no dia 5, as candidatas irão para o confinamento, quando começarão a ser observadas e avaliadas pelo júri. “Serão vários dias de tensão,” prevê Gislenny, que não esconde o ânimo, a expectativa e nem o nervosismo. E miss que se preze hoje em dia tem que se preparar para vencer, porque não bastam mais somente as medidas físicas.

Gislenny tem 1,70m de altura, 80 cm de busto, 90 cm de quadril, 60 cm de cintura, tudo no lugar certo. O que a preocupa são as perguntas que irá enfrentar: “A fase mais difícil de todas é a das perguntas porque eles irão fazer questionamentos e temos que responder de forma que agrade a todos eles. Vou ter que ter equilíbrio,” reflete a miss parauapebense.

Contudo, como boa taurina, nascida em 16 de maio, ela é muito observadora e, assim, busca evitar dar passos em falso. Formada em Engenharia Florestal pela Universidade Estadual do Pará (Uepa), em Marabá, e com mestrado concluído há três meses pela Universidade Federal de Lavras (MG), Gislenny gosta de ler livros baseados em fatos e artigos acadêmicos com comprovação científica. Tudo muito pé no chão.

Afinal, argumenta a miss, há candidatas belíssimas que não são selecionadas porque tropeçam no conhecimento. “É uma carga muito grande e estou estudando muitos assuntos,” diz ela, para quem concorrer a Miss Pará e a Miss Brasil “está cada vez mais difícil porque as candidatas estão cada vez mais preparadas; todas elas procuram se profissionalizar”.

Apoio da família

Gislenny não foi eleita Miss Parauapebas, foi escolhida pela coordenação do concurso, em Belém, já que Parauapebas não realizou a etapa inicial do evento. Ela conheceu o coordenador geral em Marabá, durante a escolha da miss daquele município, e a partir daí começaram os contatos com os coordenadores. “Eles devem ter analisado outras meninas porque fazem essa análise interna, e gostaram muito das minhas características,” conta Gislenny, que já foi modelo fotográfica e chegou a ser selecionada pela Minas Top Model para seguir carreira, mas o mestrado, que ainda estava em curso, falou mais alto.

Os pais José Rêgo e Isabel Lima dão todo o apoio para a filha mais velha, que também recebe força dos irmãos Wernek, 24, e Gisllany, 22. O namorado, o músico Daniel Jorge, tem sido outro parceirão em seis anos de relacionamento e não esboçou ciúmes do concurso, pelo contrário. “Ele não se incomoda não. É do meio artístico. Eu é que já senti ciúmes por ele passar a noite toda tocando,” ri Gislenny.

Com o Miss Pará, a bela jovem espera divulgar Parauapebas, as riquezas e os encantos da terra, falar do povo hospitaleiro construído pela miscigenação. Os próprios pais de Gislenny são maranhenses e há mais de 20 anos se mudaram para a terra dos minérios em busca de vida melhor; o mesmo que agora projeta a mestre em Engenharia Florestal. “Eu pretendo seguir minha carreira [na Engenharia Florestal] até porque é o que eu gosto de fazer. Como surgiu essa oportunidade de ser miss, aceitei porque é uma área que também gosto muito,” diz Gislenny.

Em busca de patrocínio

Observadora e também decidida, a Miss Parauapebas tem saído em busca de patrocínio para viagens e hospedagem. Já tentou a prefeitura, mas sem sucesso até agora, e apela à iniciativa privada. Em troca da parceria, Gislenny diz que irá divulgar amplamente nas suas redes sociais, com uso inclusive de vídeos, o nome da empresa que aposta no sonho de uma engenheira florestal que acredita que o maior concurso de beleza do mundo deixou de ser fútil para dar espaço à divulgação das cidades e dos países, tornando-se vitrine para turistas e investidores.

Este slideshow necessita de JavaScript.

2 comentários em “Parauapebas já tem candidata para o Miss Pará 2019

  1. Jose R Moraes Ferreira Responder

    bonita e jovem,,, vai la e conquiste o titulo para nossa região tao carente de representantes a alltura das mulheres de nossa regiao… força… coragem… seja lutadora e vença este conurso,,, s u c e s s o….

  2. Nilva Responder

    Ela é de fato linda e representará muito bem nosso estado.Parabens ao povo paraense por sermos tão bem representados Você é linda, vai la e ganhar traga o troféu !!

Deixe seu comentário