Parauapebas: Guarda Municipal é vítima de tentativa de homicídio em bar do Cidade Jardim

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print

Continua depois da publicidade

Thiago Barcelos foi esfaqueado duas vezes por Pedro Campos, o “Negão”, mas escapou com vida Já se encontra em casa, fora de perigo, Thiago de Sousa Barcelos, integrante da Guarda Municipal de Parauapebas, vítima de tentativa de homicídio na madrugada deste sábado (3). Ele teve alta do Hospital Municipal, onde estava em observação, foi liberado por volta das 14h e prestou depoimento da 20ª Seccional de Polícia Civil. Barcelos foi esfaqueado pelo indivíduo Pedro Edson Campos, conhecido como Negão, por volta da 0h30 de hoje, em um bar na Rua “J”, Bairro Cidade Jardim, por causa do valor de uma recompensa, por ter encontrado a carteira do guarda municipal, que a havia perdido horas antes.

De acordo com Barcelos, ele estava com um amigo em um bar próximo da casa onde mora, quando Negão chegou com a carteira, entregando-a e exigindo uma recompensa de determinado valor, tendo o guarda respondido que não tinha a quantia que ele queria, mas poderia recompensá-lo com um valor menor.

Negão não aceitou e, segundo o guarda, disse: “Tu és guarda municipal?”, em tom de deboche e ameaçador. Tendo ele e o colega saído do bar e se dirigido a outro estabelecimento próximo, onde Negão chegou logo em seguida e baixou o volume da caixa de som, chamando-o de “guardinha” e “guardinha de merda”.

Thiago afirma que não aceitou a provocação e se dirigiu à moto em que estava, com o intuito de abandonar o local, quando foi surpreendido com uma facada nas costas, à altura dos rins e outra desferida contra seu tórax, que ele aparou com o braço, sendo golpeado também naquele membro.

Em seguida, foi socorrido pelo amigo, de moto, e levado ao Hospital Municipal, onde recebeu atendimento e foi constatado que o golpe aplicado nas costas não havia atingido nenhum órgão interno. Naquela casa de saúde pública ele ficou em observação durante toda a madrugada e a manhã.

Outra versão

Também chamado a depor, uma vez que testemunhou parte do caso, Gilson Carlos, cuja prima da mulher dele é casada com Negão, confirmou que Negão encontrou a carteira de Barcelos e exigiu R$ 20,00 como recompensa, mas o GM disse que só poderia dar R$ 10,00 e pagar uma cerveja para ele. O agressor não ficou satisfeito com a quantia oferecida e ainda chamou o guarda de “liso”.

Barcelos e o amigo, percebendo que Negão estava a fim de confusão, se retiraram do estabelecimento, indo beber em outro bar. Minutos depois, Negão chegou e baixou o volume da caixa de som, sendo repreendido pelo dono do bar, que o expulsou do estabelecimento, solicitando também que Barcelos e o amigo dele se retirassem e dizendo que nem precisavam pagar a conta.  Naquele momento, ainda segundo Gilson Carlos, o guarda municipal e Negão chegaram a trocar socos, tendo a testemunhas se afastado local quando começou a confusão. “Logo depois, só ouvi os gritos e as pessoas dizendo que Negão foi se armar de faca e atacou o guarda”, contou Gilson.

Uma guarnição da Guarda Municipal localizou o endereço de Negão pela manhã e se dirigiu à casa dele, mas o agressor não foi encontrado. Thiago Barcelos prestou queixa na Polícia Civil, que também tenta localizar o homem.

(Reportagem: Ronaldo Modesto)