Pará revoluciona pecuária e começa a emitir GTA-eletrônica

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print

Continua depois da publicidade

Emitida em nome da produtora familiar, Hérica Araújo da Silva e do pecuarista Hélio Moreira, saíram dos terminais da Agência de Defesa Agropecuária do Pará no município de Marabá (sul do estado), as primeira Guias de Trânsito Animal-Eletrônica (Gta-Eletrônica) do Brasil. O projeto, parte integrante do Programa Boi Guardião desenvolvido pelo Ministério da Agricultura ( Mapa), Adepará e Federação da Agricultura do Pará com investimentos de cerca de R$ 1 milhão, revoluciona a pecuária no estado.

A GTA-Eletrônica foi inaugurada oficialmente no final da manhã desta quarta-feira (9), em Marabá, pelo ministro da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), Reinhold Stephanes, e pela governadora do Pará, Ana Júlia Carepa. O documento obrigatório de sanidade para transporte de animais entre propriedades, municípios e estados, para frigoríficos e mesmo para a exportação do animal vivo, começa agora a ser emitido em aproximadamente dois minutos, possibilitando o melhor controle do rebanho, proteção da floresta, combate ao desmatamento e agilidade no trânsito de animais. A GTA era antes emitida totalmente de forma manual.

O projeto pioneiro no Brasil contempla os municípios da Marabá, Água Azul do Norte, Ourilândia do Norte, Eldorado do Carajás, Tucumã e São Félix do Xingu, onde foram georreferenciadas mais de 19 mil fazendas, com definições de local pelo sistema de coordenadas geográficas, que serão monitoradas por técnicos do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) e pela Adepará.

"O cadastro georreferenciado, que era pensamento futuro, hoje é realidade no Pará". enfatizou o diretor geral da Adepará, Aliomar Arapiraca.

Para o agricultor familiar Antônio Neto, o projeto vai gerar resultados importantíssimos para o meio ambiente.

Falando em nome dos pecuaristas do Pará, Carlos Xavier lembrou que o estado tem 76% do território de floresta preservado, um volume superior a 98 milhões de hectares. "Se o Brasil tem floresta, o Pará tem feito a sua parte", enfatizou o presidente da Faepa.

Francisco Victer, presidente da União Exportadora de Carne (Uniec), disse que o momento concretiza o Pará como espelho do mundo, "aqui reunimos qualidade sanitária, ambiental e social, podem contar com nosso apoio para o andamento do processo ", finalizou.

Trabalho extraordinário – Diante de um público formado por cerca de 500 pessoas entre pequenos produtores, pecuaristas e representantes da sociedade civil do sudeste paraense, Stephanes classificou como extraordinário o trabalho desenvolvido pela Agência de Defesa Agropecuária do Pará, e acrescentou: "Ao longo de um ano foi feito um trabalho simples, que reuniu muitos esforços mais objetivos, que vai nos conduzir ao desmatamento zero, um programa como esse que surgiu aqui acompanha, rastreia e atende as exigências do mercado", garantiu o ministro.

Para a governadora, o estado passou a ser exemplo e referência para o Brasil. Enfatizando as políticas públicas desenvolvidas no Pará, como o Zoneamento Econômico Ecológico (ZEE), Cadastro Ambiental Rural (Car) e a GTA-Eletrônica , Ana Júlia Carepa, disse que por meio de projeto de lei o produtor que quer trabalhar na legalidade recebe incentivos fiscais e financeiros. "Aqui também temos o maior programa de reflorestamento do planeta, que vai recuperar um milhão de hectares de terra que já foram alteradas e ainda se pode ganhar dinheiro, temos soluções para o Brasil e para o mundo; a única coisa que queremos é que as riquezas sejam distribuídas para o nosso povo", afirmou a governadora.

Desmatamento zero – Toda a cerimônia foi transmitida através de videoconferência pelo sistema NavegaPará, para Altamira, Santarém (Oeste) e a capital Belém, de onde interagiram os pecuaristas Pedro Barbosa, José Teixeira Filho e Guilherme Lincen.

O Ministério da Agricultura Pecuária e Abastecimento, o Banco Nacional de Desenvolvimento (BNDES), a Associação Brasileira de Supermercado (Abras), os frigoríficos Bertin e Frigol e o governo do Pará, assinaram um termo de intenções cuja contribuição visa o desmatamento zero no bioma Amazônia e para operacionalização do Termo de Ajustamento de Conduta (Tac), formalizado pelo governo do Pará, no qual os partícipes se comprometem a praticar a produção pecuária em áreas consolidadas.

Antes de deixar Marabá, a caravana ainda visitou o rebanho bovino do senhor José Miranda, na chácara Maria Cruz, localizada no Km 6 da Rodovia Transamazônica.

Fonte: Iolanda Lopes- Sagri

Publicidade