Ministério Público do Pará promove programação durante a Semana Nacional de Combate aos Impactos Causados por Agrotóxicos

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print

Continua depois da publicidade

image

O Fórum Estadual de Combate aos Impactos Causados pelos Agrotóxicos, atualmente sob a coordenação do Ministério Público do Estado do Pará (MPPA), na pessoa dos Promotores de Justiça Fabia de Melo-Fournier e Nilton Gurjão das Chagas, ora coordenadores dos Centros de Apoio Operacional Cível (CAOC) e do Meio Ambiente (CAOMA), respectivamente, promoverá de 13 a 16 de outubro do ano em curso, em vários municípios do Estado, ações em alusão à “Semana Nacional de Mobilização no Combate aos Impactos Causados pelos Agrotóxicos”.

O evento terá início às 9h, do dia 13/10/2015, no Auditório Nathanel Farias Leitão, localizado no prédio sede do MPPA na capital, com a apresentação no citado Fórum, do livro “Dossiê ABRASCO: um alerta sobre os impactos dos agrotóxicos na saúde, e, ainda, a realização de mesa redonda, discutindo os eixos segurança alimentar e nutricional; saúde, ambiente e sustentabilidade; conhecimento cientifico e popular: construindo a ecologia de saberes.

Ademais, durante toda a semana, outras ações ocorrerão em Belém, Ananindeua, Abaetetuba, Canaã dos Carajás, Igarapé-Miri, Santo Antônio do Tauá Itaituba, Tucuruí, Marabá e Breves.

As atividades da Semana serão coordenadas por suas Comissões Temáticas e por Promotorias de Justiça do Ministério Público Estadual. O evento ainda terá a participação dos integrantes, parceiros e público alvo das ações da semana alusiva ao Dia Mundial da Alimentação Saudável, que ocorrerá no período de 13 a 20/10/2015.

1 comentário em “Ministério Público do Pará promove programação durante a Semana Nacional de Combate aos Impactos Causados por Agrotóxicos

  1. Jairo Menegaz Responder

    Companheiros. Creio que deveriamos ter foco em tres ações:
    1) Pressionar o PARA – Programa de Avaliação de Resíduos MS, a medir o nivel de glifosate na soja, no milho e nas carnes de suíno e de frango e no leite.
    2) Entrar com mandado de segurança para o IBAMA fazer avaliação de contaminações de derivas (residuos dispersados) em pulverizações aéreas, e iniciar a avaliação seria e quantificar seus impactos.
    3) Entrar com mandado de segurança para o IBAMA para refazer os processos de neonicotinóides, dado que existem estudos internacionais que comprovam que eles são tóxicos para abelhas,
    e a Lei de Agrotóxico tem artigo especial sobre isto.

Deixe seu comentário

Posts relacionados

%d blogueiros gostam disto: